7 tendências de APIs no mundo corporativo em 2022

A construção e implementação de APIs (interface de programação de aplicação) de diferentes serviços em negócios vem se tornando um dos principais serviços oferecidos por empresas para seus clientes. Mas esse tipo de implementação ainda é muito novo, fazendo com que muitos executivos ainda não saibam qual estratégia executar em seu plano de ação.

Segundo um estudo desenvolvido pelo analista independente da indústria de software e especialista em APIs, Randy Heffner, em parceria com Kleber Bacili, fundador e CEO da Sensedia, essas previsões são complicadas, já que o futuro é virtualmente imprevisível e a verdadeira transformação digital pressupõe estar preparado para a rápida mudança em modelos de negócios e operações.

“Na era digital, o melhor planejamento é aquele que habilita com que o negócio mude rapidamente. E para construir uma estrutura que esteja preparada para mudanças, é preciso que seu software seja pensado para mudar também” afirma Kleber Bacili.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Outra constatação feita no estudo é que o mercado anda a passos largos em direção a um caminho sem volta: o modelo de negócios abertos está, cada vez mais, se tornando um modelo de negócios tradicional. E é aqui que entram as APIs, que viabilizam com que o mundo open e todas essas transformações aconteçam.

E é dentro disso que as estratégias líderes deste setor entram em ação. Confira elas a seguir:

Negócios abertos estão se tornando negócios normais

O open banking foi um dos primeiros sinais de um novo mundo de APIs abertas. (Divulgação/Open Banking)

Para muitos executivos, o open banking foi o primeiro sinal de que um novo modelo de negócios estava se desenvolvendo. Por mais que algumas empresas tenham suas APIs abertas há mais de dez anos, como Google e Twitter, por exemplo, o senso comum entre grande parte dos gestores, até o momento, era de que APIs seriam algo tecnológico demais, específico para startups ou companhias de tecnologia.

Porém, este senso comum está errado. À medida que o número de APIs abertas de grandes empresas cresce, é possível assimilar o fato de que os negócios abertos estão se tornando negócios normais.

Quando uma empresa torna o negócio aberto como seu modo normal de negócios, as APIs disponíveis permitem que sua organização prospere à medida que as cadeias de valor, os modelos de negócios e a concorrência mudam e evoluem continuamente.

De negócios abertos para negócios open-ended

Os Open-ended business (negócios abertos, em tradução livre), além de criarem valores para a empresa como um todo, também contribuem para identificar oportunidades com base nas competências, capacidades e ativos individuais do negócio, seja ele digital ou físico.

Um negócio aberto se beneficia muito de uma arquitetura de software forte, que o torna aberto para conexões diretas e dinâmicas com vários ecossistemas, e permite que o negócio seja rapidamente reconfigurado para atender às oportunidades.

Plataformas de negócios e produtos de APIs se tornam centrais

Apesar dos produtos de APIs serem importantes para negócios abertos, a mudança para esta categoria aumenta a visibilidade dos produtos de API à medida que começam a pensar em suas iniciativas como uma plataforma capaz de englobar modelos e oportunidades corporativos diversas.

DevOps se expande para governança adaptativa

Plataformas de negócios e produtos de API deixam claro um ponto muito importante: o software de uma empresa é o seu negócio. Com isso, a importância do design e da governança de programas baseados em domínio, aumenta.

O gerenciamento de API se expande além do REST

As empresas interagem por meio de processos e fluxos orientados a eventos, bem como trocando dados e transações. Portanto, as plataformas de negócios abertas precisarão de modelos de interconexão baseados em eventos e outros, além do modelo de solicitação-resposta das REST APIs.

Low-code e aplicações nativad de nuvem conferem agilidade na implementação

O uso de aplicações de nuvem também é uma estratégia lider em API. (Imagem: Reprodução: Pexels/Maksim Goncharenok)

Para lidar com a escassez de habilidades e permitir com que as APIs atendam à cenários variados, sua arquitetura deve permitir uma implementação contínua e completa de API, de low-code até microsserviços em cloud e tudo o que estiver no caminho entre eles.

As arquiteturas de segurança de APIs ficam mais seguras e fortes

À medida que as APIs ganham visibilidade, produtos e estratégias para protegê-las recebem cada vez mais investimento e inovação. Por isso, a criação de uma arquitetura de confiabilidade-zero, em que qualquer novo sistema conectado a operação principal deve ser autenticado, garante proteção contra invasões, o uso não autorizado de funções e possíveis violações de privacidade.

Fonte feed: canaltech.com.br

Veja também

Menu