China quer concluir estação espacial e quebrar seus recordes em 2022

Quebrar os próprios recordes de lançamentos e finalizar a estação espacial Tiangong-3 são alguns dos planos espaciais da China para 2022. A China National Space Administration (CNSA), a agência espacial do país, já está se preparando para meses agitados à frente, já que a China deverá lançar satélites, os módulos Wentian e Mengtian com foguetes Long March 5B e missões Shenzhou, que vão levar taikonautas com destino à estação.

No ano passado, a China deu início à construção de sua nova estação espacial com o lançamento do módulo central Tianhe. Agora, o país vem preparando foguete Long March 5B para o lançamento dos módulos restantes, que vão incorporar à estação as instalações necessárias para a realização de experimentos científicos. Juntos, os dois módulos somam massa de mais de 20 mil kg.

Estrutura da estação Tiangong-3 (Imagem: Reprodução/Wikimedia Commons/Saggittarius A)

A montagem e testes de um foguete Long March 5B já foram finalizados, e o veículo lançador deverá levar o módulo Wentian à estação perto da metade do ano. Já o módulo Mengtian será lançado por um foguete Long March 5B Y4, cuja montagem está em andamento. A China espera lançá-lo durante o segundo semestre de 2022.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Bai Linhou, vice-projetista chefe do sistema da estação na China Academy of Space Technology (CAST), explica que os engenheiros envolvidos no processo vão acompanhar a acoplagem dos módulos, concluindo a forma da estação. “Quando isso estiver completo, vamos testar a estação completa e garantir que entre na etapa de operação total”, disse ele, em entrevista. De acordo com Linhou, a Tiangong-3 deverá começar a operar no fim do ano.

Mais planos da China para 2022

Já Chen Xiaofei, vice-projetista chefe do foguete Long March 8, contou que um lançamento de foguete nas próximas semanas deverá levar ao espaço, de uma só vez, 22 satélites — um recorde para o país. Além disso, em abril, os taikonautas da missão Shenzhou-13, a bordo da estação, vão alcançar a marca de seis meses a bordo, representando o período mais longo que astronautas chineses já passaram no espaço.

Taikonautas da missão Shenzhou-13 a bordo da estação (Imagem: Reprodução/VCG)

Shao Limin, vice-gerente chefe de sistemas de espaçonaves tripuladas na CAST, trouxe algumas estimativas para lançamentos tripulados neste ano. “Mais tarde, de acordo com nosso plano, as naves Shenzhou-14 e Shenzhou-15 serão acopladas com a estação espacial ao mesmo tempo”, disse. “As duas tripulações estarão na estação por um breve período”. Se tudo correr bem, as missões tripuladas vão representar seis missões lançadas à estação neste ano.

Entretanto, os planos do país vão além, já que a China espera lançar 140 naves ao longo de mais de 50 missões em 2022. Por fim, quando chegarem ao fim de sua missão, os astronautas da missão Shenzhou-13 devem realizar um retorno rápido para a Terra, ou seja, devem pousar em nosso planeta poucas horas após deixar a estação ao invés de passar mais de 24 horas a bordo da cápsula de retorno. A Shenzhou-13 foi lançada em outubro de 2021.

Fonte: CGTN; Via: Space.com

Fonte feed: canaltech.com.br

Veja também