Como evitar golpes no Mercado Livre

O Mercado Livre é um dos maiores sites de e-commerce do Brasil e, como tal, também um local visado por golpistas e criminosos. Tentativas de fraudes e golpes estão a um clique de distância, muitas vezes ao lado de produtos legítimos, anúncios interessantes e promoções que valem a pena aproveitar, com nem mesmo os sistemas de segurança da plataforma sendo capazes de lidar com todo o volume.

Quando a moderação falta, cabe ao próprio consumidor entender as dinâmicas destes crimes e se proteger. Algumas dicas simples, além de um pouco de atenção e um desconfiômetro apurado, podem ajudar os usuários a evitar golpes no Mercado Livre e fazer as compras com tranquilidade. Confira, agora, como garantir isso e não se tornar uma vítima.

Contatos diretos e compras fraudulentas

O Mercado Livre pede que todo contato e negociação seja feito pelas plataformas oficiais, sem que vendedores e compradores conversem diretamente sobre pagamento ou envio (Imagem: Reprodução/Mercado Livre)

Antes um marketplace aberto para que qualquer pessoa comprasse e vendesse produtos, o Mercado Livre se tornou um sistema completo de e-commerce; ainda que indivíduos possam negociar pela plataforma, ela passou a contar com mecanismos de segurança, proteção e pagamento que direcionam o processo e garantem segurança. Por isso, usar tecnologias como Mercado Pago, para acertar os valores dos produtos, e Envios, para frete, é o melhor caminho para a segurança.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

A recomendação da própria plataforma é que os usuários evitem contatos e negociações diretas com os vendedores, não trocando e-mails ou telefone e preferindo a ferramenta de chat e os espaços para perguntas do próprio Mercado Livre. Assim, há um controle e também proteção total sobre o resultado das transações, enquanto a plataforma não se responsabiliza por entregas diretas, em mãos, ou transferências feitas de forma particular entre compradores e vendedores.

Tudo isso também facilita a vida na hora dos eventuais problemas. Com uma compra segurada, processos como devoluções, trocas, estornos e demais reclamações podem ser atendidas de forma direta e, se necessário, mediada pelo próprio Mercado Livre. Salvaguardas automáticas de segurança, também, incluem sistemas automatizados de proteção contra anúncios fraudulentos e vendedores que não cumprem o que prometem.

Vale a pena, ainda, ficar de olho em outros elementos para garantir uma compra tranquila. Nos anúncios de venda, no lado direito da tela, procure por indicações de vendedores com categoria Platinum e um bom índice de recomendações. Vale a pena dar uma olhada em reclamações recentes e evitar listagens de comerciantes com baixo índice de atendimentos bem-sucedidos; tais parâmetros servem tanto para indicar possíveis fraudes ou produtos de baixa qualidade quanto para comprar tranquilamente e evitar problemas.

Produtos piratas e caixas com pedras

Observar avaliações e reputações de vendedores são bons caminhos para evitar o “golpe da pedra” e outros tipos de fraudes na compra e devolução de produtos (Imagem: Captura de tela/Felipe Demartini/Canaltech)

A indicação acima também vale para identificar itens falsificados que estejam sendo vendido como originais. O Mercado Livre possui sistemas automatizados que identificam anúncios desse tipo a partir de imagens e textos, ao mesmo tempo em que os vendedores podem tentar burlar tais mecânicas. Por isso, o ideal é prestar atenção nos perfis e termos usados em publicações desse tipo.

Fuja de produtos que tragam indicações de serem “tipo” algum outro, ou que não contenham informações claras sobre procedência e legitimidade. Vale a pena usar o campo de perguntas e respostas para tirar todas as dúvidas antes da compra e, novamente, observar eventuais reclamações de outros compradores que já tenham recebido tais itens antes; caso eles sejam pirateados, com certeza isso estará descrito.

Acima disso, o ideal é desconfiar de preços baixos demais ou distantes daqueles que são praticados normalmente; um smartphone de R$ 3.000, por exemplo, sendo vendido por menos da metade do valor. O mesmo, inclusive, também vale para identificar anúncios de produtos que nem mesmo existem, outra fraude comum no Mercado Livre.

No famoso “golpe da pedra”, o vendedor efetivamente realiza o envio de um produto, na caixa e com peso equivalente. Quando o consumidor abre, porém, pode encontrar escombros e outras coisas que não às que comprou, muitas vezes dentro da caixa original. Novamente, o ideal é evitar meios diretos de contato e pagamento, além de registrar o estado do pacote e o item enviado e abrir reclamação junto ao Mercado Livre assim que possível, para que o site possa tomar as atitudes devidas.

Aliás, vale lembrar que a dica funciona também para os vendedores, que podem ser vítimas de compradores sem escrúpulos. Eles efetivamente recebem os produtos, mas alegam defeito e, ao devolverem o item, o fazem de forma fraudada, na tentativa de reaver o valor pago enquanto ficam também com o artigo. De novo, usar os meios ideais, indicados pelo Mercado Livre, é a melhor maneira de garantir uma compra segura.

Falsa venda

E-mail fraudulento simula a realização de uma venda pelo Mercado Livre, mas sem que o negócio tenha efetivamente acontecido na plataforma (Imagem: Captura de tela/Felipe Demartini/Canaltech)

Um dos golpes mais comuns no Mercado Livre nos últimos anos atinge diretamente os vendedores. Com uma dinâmica semelhante à das fraudes que atingem consumidores, mas com um pouco mais de sofisticação, os criminosos simulam a venda de produtos com direito a e-mails de confirmação falsos e contatos diretos, em tentativas de fazer com que os comerciantes enviem os produtos sem que o negócio tenha sido feito efetivamente.

Os bandidos costumam visar itens de alto valor, como consoles de vídeo game, computadores, smartphones e televisores. Por meio da área de mensagens, solicitam um e-mail de contato para negociações diretas — algo que é proibido pelos termos de uso da plataforma —, e é por meio dele que a fraude acontece. Um falso comprovante de venda é enviado após algumas trocas de mensagens, mas a compra, efetivamente, nunca aconteceu.

Muitas vezes, o vendedor só percebe o problema tarde demais, depois que já fez o envio do produto, normalmente para um endereço de laranjas dos criminosos. Por isso, sempre que uma venda for realizada, é importante checar no próprio Mercado Livre se a transação efetivamente aconteceu e foi aprovada, com a plataforma dando todas as informações pertinentes aos comerciantes quanto a pagamentos, envio de dinheiro e, claro, remessas de produtos.

Além disso, o ideal é, como no caso dos consumidores, evitar contatos diretos a não ser que se tenha certeza da índole de quem está do outro lado. Passar e-mails para comunicação também pode expor lojas e vendedores a ataques de phishing e outras tentativas de comprometimento de contas ou informações pessoais ou bancárias.

Ligações e e-mails de golpe

Mensagens de phishing, enviadas por e-mail ou mensageiros instantâneos, podem ser usadas para roubar dados e informações financeiras em nome do Mercado Livre; o ideal é ignorar tais tentativas (Imagem: Mohamed Hassan/Pixabay)

Mesmo fora das compras e vendas, criminosos podem tentar aplicar golpes em usuários ou não do Mercado Livre por meio de mensagens ou chamadas fraudulentas. Por isso, desconfie de contatos feitos em nome do e-commerce, solicitando a atualização de dados cadastrais, confirmações de compras, informações financeiras e demais detalhes; a própria empresa deixa claro que não age desta maneira.

São os chamados golpes de phishing, que tentam enganar vítimas usando a identidade de marcas conhecidas. Isso também aparece na aparência dos e-mails, que podem copiar o visual de comunicações reais da plataforma, ou perfis em redes sociais que tentam oferecer ajuda caso o usuário publique alguma reclamação de forma pública. Novamente, o ideal é ignorar tais contatos e buscar meios oficiais de suporte.

Evite clicar em links que cheguem por e-mail ou mensagem direta, assim como preencher cadastros ou baixar aplicativos. Códigos também não devem ser fornecidos a supostos atendentes em hipótese alguma, enquanto nas chamadas, o ideal é evitar prestar informações. Caso desconfie que o contato é legítimo, busque a página de suporte do Mercado Livre, por onde contatos oficiais podem ser realizados.

Medidas de segurança

Senhas complexas e únicas devem ser usadas na conta do Mercado Livre, ampliando a segurança juntamente com mecanismos de dupla autenticação (Imagem: mohamed Hassan/Pixabay)

Hábitos de higiene digital que valem para outros serviços online também servem para o Mercado Livre; aliás, essa deveria ser uma conta de especial atenção, por concentrar não apenas hábitos de consumo, mas também endereços e informações bancárias. Por isso, adote dinâmicas de proteção para evitar problemas e seja rápido em agir caso descubra qualquer eventualidade.

Senhas complexas devem ser utilizadas no Mercado Livre; elas também devem ser únicas e exclusivas para a plataforma. Ative o sistema de verificação em duas etapas, que exigirá um código adicional para acesso em caso de perda das credenciais, e utilize e-mails em bom estado e aos quais você tem acesso para receber confirmações de compra e notificações sobre logins e eventuais questões relacionadas à conta.

Certifique-se, também, de utilizar o aplicativo oficial do e-commerce no celular, baixado a partir das lojas oficiais do Android ou iOS, bem como a URL legítima do Mercado Livre no computador. Evite clicar em links que cheguem por e-mail ou mensagens instantâneas ou fornecer dados e informações por ligações ou sites cujo acesso que tenha sido enviado por estes meios.

Caiu em um golpe no Mercado Livre? Saiba o que fazer

O registro de reclamações sobre compras ou vendas no Mercado Livre devem ser feitos sempre por meios oficiais, para que a empresa medie os problemas e apresente soluções ou reembolsos (Imagem: Divulgação/Mercado Livre)

Caso o usuário seja vítima de fraude pela plataforma, a recomendação é sempre entrar em contato pelos meios oficiais de suporte. Por meio das páginas internas do e-commerce, é possível solicitar ajuda sobre compras realizadas, defeitos em produtos, itens não recebidos ou demais ocorrências, principalmente aquelas envolvendo pagamento, estorno ou devoluções.

O ideal é aguardar a mediação da companhia, caso a loja não possa ser contactada, e evitar contatos diretos ou negociações que não aconteçam pelos meios oficiais. Como dito, a empresa não se responsabiliza por tais situações, transferências diretas de valores ou envios combinados fora dos meios oficiais, enquanto garante segurança em suas próprias plataformas.

Sempre mantenha registros de conversas, comprovantes de compra e demais informações relevantes à mão durante todo o processo, para facilitar consultas e comprovações. Em caso de crime ou ameaça sofrida por vendedores ou compradores, vale a pena, também, procurar as autoridades para registrar boletim de ocorrência e dar mais detalhes sobre o que aconteceu.

Fonte feed: canaltech.com.br

Veja também

Menu