Consulta a “dinheiro esquecido” volta na próxima semana; veja como verificar

Bilhões de reais esquecidos em bancos devem ser devolvidos a indivíduos e empresas em breve. Os valores são referentes a saldos deixados em contas correntes ou poupanças encerradas, tarifas ou parcelas cobradas indevidamente, recursos de consórcios que não foram resgatados e outros.

E a maioria dos beneficiários nem sabe que tem dinheiro para receber. Por isso, o Banco Central do Brasil (Bacen) criou a ferramenta Valores a Receber, que pode ser usada tanto por pessoas físicas quanto por pessoas jurídicas que queiram consultar se têm valores pendentes em posse de bancos.

Em 24 de janeiro, quando a ferramenta foi lançada, o sistema entrou em colapso em razão da grande quantidade de consultas simultâneas. Segundo o Bacen, o volume de acessos foi 20 vezes maior que em um dia de alto volume – ou 50 vezes maior que em um dia normal.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

R$ 8 bilhões estão esquecidos em bancos (Imagem: Reprodução/Pixabay/Bru-nO)

Em seguida, o sistema foi suspenso para passar por adequações. No momento, o recurso está indisponível, mas o Bacen afirma que ele será liberado novamente na próxima segunda-feira (14). As solicitações de transferência de valores serão agendadas a partir de 7 de março.

Segundo o Bacen, há cerca de R$ 8 bilhões a serem devolvidos e a operação ocorrerá em duas etapas. Na primeira, cerca de R$ 3,9 bilhões serão retornados a 27,9 milhões de pessoas e empresas. Entram nesse grupo:

  • Contas corrente ou poupança encerradas com saldo disponível;
  • Tarifas e parcelas ou obrigações relativas a operações de crédito cobradas indevidamente, previstas em Termo de Compromisso assinado entre o banco e o Bacen;
  • Cotas de capital e rateio de sobras líquidas de beneficiários e participantes de cooperativas de crédito;
  • Recursos não procurados relativos a grupos de consórcio encerrados.

Os R$ 4,1 bilhões restantes serão liberados em uma segunda etapa no decorrer de 2022. Nessa fase, entram:

  • Tarifas e parcelas ou obrigações relativas a operações de crédito cobradas indevidamente, previstas ou não em Termo de Compromisso com o Bacen;
  • Contas de pagamento pré e pós-pagas encerradas com saldo disponível;
  • Contas de registro mantidas por corretoras e distribuidoras de títulos e valores mobiliários encerradas com saldo disponível;
  • Outras situações que impliquem valores a devolver reconhecidas pelas instituições.

Como consultar os valores

Quando a ferramenta estiver disponível, a consulta poderá ser feita da seguinte forma:

  • Acesse a ferramenta Valores a Receber;
  • Use seu CPF ou CNPJ para consultar se há valores a receber;
  • Se houver, o sistema vai informar uma data;
  • Guarde essa data.

Se você ainda não tiver login Gov.br, faça o cadastro gratuito no site ou pelo app Gov.br (Google Play e App Store). É preciso ter um cadastro Gov.br nível prata ou ouro para solicitar os recursos — esses níveis são oferecidos a quem já integrou a conta de banco à plataforma do governo ou registrou biometria facial no aplicativo Meu Gov.br.

Como resgatar

Não será mais possível acessar o Valores a Receber com o login Registrato. Para resgatar os valores, será preciso entrar no sistema com os dados da conta Gov.br. Veja:

  • Volte ao site Valores a Receber na data informada durante a consulta e use o login Gov.br para entrar no sistema;
  • Será possível, então, saber qual o valor disponível e solicitar a transferência.

Se você perder a data de resgate, não se preocupe. Volte ao site em outro dia para que o sistema informe uma nova data para retorno. O Bacen destaca que os recursos que pertencem ao cliente continuarão guardados pelas instituições financeiras pelo tempo necessário, até que a devolução seja solicitada.

Cuidado com golpes

É preciso estar atento a golpes: não forneça informações pessoais nem pague pelos valores a receber (Imagem: Reprodução/Pexels/Junior Teixeira)

Lembre-se de que o único site para consulta e solicitação desses valores é este aqui. O Bacen não envia links nem entra em contato para tratar sobre esses valores ou confirmar dados pessoais e senhas.

Então, se receber links suspeitos por e-mail, SMS, WhatsApp ou Telegram, apenas apague-os. Além disso, não faça pagamentos a terceiros para ter acesso aos valores a receber. “É golpe!”, destaca o Bacen.

Fonte feed: canaltech.com.br

Veja também