Criptomoedas ligadas a metaverso e pagamentos sobem mais de 10%; veja quais são

Duas moedas alternativas ao Bitcoin apresentaram oscilações em meio a medidas do Federal Reserve (Fed), o banco central dos EUA. A retirada de estímulos da economia americana, anunciada pelo órgão, afeta especialmente ativos de risco e criptoativos. Avalanche e Solana, duas apostas de moedas digitais que nasceram no metaverso, apresentaram variações importantes, mais altas que o Bitcoin.

A Avalanche teve alta de mais de 23% e foi a US$ 113,66 (R$ 647,3). Ela serve de base para projetos em criptografia, como jogos e desenvolvimento de outras criptomoedas. Ganhou destaque porque a empresa de pagamentos Circle está construindo uma solução de pagamentos pessoa a pessoa (P2P ou peer-to-peer, em inglês) com a stablecoin USD Coin (USDC), a sétima maior cripto do mundo, na blockchain da Avalanche.

Além disso, o Bank of America afirma que ela pode ser uma alternativa à Ethereum no segmento de design de blockchain. A instituição destaca que a escalabilidade, a segurança e a descentralização da criptomoeda a levam a ter alto potencial de crescimento.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Já a Solana está cotada a US$ 176,9 (R$ 1 mil), nesta sexta-feira (17), com alta de 17,18%. A empresa Solana Ventures, que cuida do protocolo da Solana, se uniu à Forte e à Griffin Games Partners (GGP) para desenvolver jogos play-to-earn, como o Axie Infinity (AXS), e artigos em NFT. Segundo o acordo, ambas as empresas vão produzir material para o metaverso no contexto da web 3.0. A negociação foi de US$ 150 milhões (R$ 854,3 milhões).

Alta de juros

O Fed ainda não definiu os detalhes do aumento da taxa de juros, mas aparentemente ela deve ocorrer no segundo trimestre de 2022. O presidente da instituição, Jerome Powell, afirmou que avalia as condições da pandemia de covid-19 para tomar decisões de política monetária.

Criptomoedas são afetadas por decisões do Fed (Imagem: Reprodução/Unsplash/Pierre Borthiry)

Isso quer dizer que a ômicron, ou outra nova variante, pode fazer o Fed retirar os estímulos monetários mais lentamente, se a economia demonstrar fraqueza. Nesta sexta-feira, a cotação do Bitcoin flutuou durante todo o dia. Enquanto às 11h, a moeda operava em alta de 2,85%, às 15h, apresentava queda de 2% e estava cotada a R$ 265,5 mil.

ETFs na B3

Confira o preço dos principais ativos negociados na B3 (às 15h30):

Ticker Gestora Preço Variação (24h)
HASH11 Hashdex R$ 50,91 -4,29%
ETHE11 Hashdex R$ 65,63 -4,39%
BITH11 Hashdex R$ 64,10 -2,44%
QBTC11 QR Capital R$ 16,90 -2,82%
QETH11 QR Capital R$ 16,03 -3,49%

Fonte: Seu Dinheiro

Fonte feed: canaltech.com.br

Veja também

Menu