Crítica De Volta aos 15 | Um abraço apertado em tempos que não voltam mais

Todo mundo já teve vontade de voltar no tempo e consertar alguns erros. Quando Bruna Vieira escreveu De Volta aos 15, foi exatamente isso que pensou. Numa história que lembra bastante o sentimento nostálgico e de comédia romântica que De Repente 30 e Quero Ser Grande entregaram, a nova série brasileira da Netflix acontece bem pertinho de casa e do coração.

A diferença entre essas histórias é justamente o fato de serem estrangeiras. Que os filmes de Gary Winick e Penny Marshall trazem esse conforto, já sabemos, mas apenas De Volta aos 15 conseguiu resgatar o que foi de fato ser jovem nos anos 2000.

Aqui nós conhecemos Anita, uma mulher de 30 anos que está descontente com o rumo que sua vida tomou. Com a oportunidade de voltar aos 15 anos, ela começa a reparar os erros que acredita ter cometido, mas não imaginava que suas decisões impactariam na vida de todos ao seu redor.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

O enredo pode não oferecer grandes novidades e ser bastante similar a outros filmes de viagem no tempo. No entanto, De Volta aos 15 em nenhum momento pretende reinventar a roda ou criar algo 100% novo, e sim trazer o conforto, a nostalgia e o sentimento de revisitar a adolescência em seis episódios.

Um abraço em tempos que não voltam mais

Introduzindo de maneira leve e divertida cada elemento nostálgico que marcou os anos 2000, o público acaba se sentindo parte da história de redescoberta e amadurecimento de Anita. Conforme a personagem revive sua adolescência, podemos matar a saudade de itens, estilos e manias que foram peças-chave daquela época.

Nostalgia de sobra para dar aquele quentinho no coração de quem hoje tem seus vinte e poucos anos (Imagem: Divulgação / Netflix)

Tratando com naturalidade e sem alarde cortes de cabelo, músicas que foram hits daqueles anos, peças de roupa e até mesmo sites do momento, a série da Netflix acaba trazendo a sensação de pertencimento e retorno para um tempo aconchegante e que marcou a vida de quem hoje está com seus 20 e poucos anos — ou até mesmo 30, como a personagem de Camila Queiroz.

Pode não parecer, mas é com essa atmosfera nostálgica do celular tijolão e da internet discada que De Volta aos 15 nos oferece o que mais precisávamos e não sabíamos até agora: um escapismo da facilidade, urgência e toda a correria dos tempos atuais mergulhados no digital.

É tempo de “não fazer nada a tarde inteira e depois ficar jogado no sofá”, como brinca a irmã mais velha de Anita, Luiza, durante uma das cenas da primeira temporada.

A estrela de Verdades Secretas, Camila Queiroz, dá vida à Anita de 30 anos na série (Imagem: Divulgação / Netflix)

Segunda temporada pela frente?

De Volta aos 15 não é perfeita, mas suas falhas não atrapalham em momento algum a fluidez e desenvolvimento para o objetivo principal da trama. Porém, se a vontade da Netflix é de fato continuar a contar essa história, é importante atentar-se: em momento algum a personagem de Maisa foca em um único objetivo a ser consertado no seu passado. Há confusão e até mesmo desespero em reparar certos erros, mas sem ao menos especificá-los.

Camila Queiroz, que nitidamente se diverte em tela, também possui tem momentos que brilha, diferente das obras já citadas do cinema em que a versão mais velha da personagem principal é vista no início e no final da produção. A Anita mais velha tem seus momentos de desenvolvimento e amadurecimento próprio, caminhando ao lado da sua Eu de 15 anos.

Série trata muito bem seus personagens coadjuvantes, sem perder o foco principal da trama (Imagem: Divulgação / Netflix)

Por um outro lado, por mais que a quantidade de coadjuvantes em tela seja enorme, em momento algum isso é visto como uma desorganização. Embora o último episódio deixe a desejar, com pontas soltas e finais abertos (provavelmente servindo como um gancho para a segunda temporada), cada um dos personagens tem suas histórias contadas apropriadamente, sem extrapolar duração e tamanho do roteiro.

De Volta aos 15 é leve, simples e traz um escapismo necessário, com risadas, emoção e diversão. A série dosa muito bem seus momentos de comédia e drama e tem potencial o suficiente para atrair fãs de todo o mundo. Possivelmente com planos para uma segunda temporada, ainda há muita história para contar, e definitivamente há pessoas interessadas para assisti-la.

Vem segunda temporada por aí? Se sim, estamos preparados (Imagem: Divulgação / Netflix)

De Volta aos 15 pode ser assistida no catálogo da Netflix.

Fonte feed: canaltech.com.br

Veja também