Empreendedorismo feminino: 65% delas cuidam de loja online sozinhas

As mulheres são maioria no empreendedorismo digital brasileiro: 66% das pequenas e médias empresas online são lideradas por elas. É o que aponta um levantamento da plataforma de e-commerce Nuvemshop. Apesar desse índice, elas vivem uma jornada solitária: dentre as lojas de mulheres empreendedoras, 65% tem apenas a fundadora como funcionária.

Uma consequência possível é o impacto na saúde: 36,3% das mulheres ouvidas na pesquisa disseram ter tido complicações psicológicas e/ou físicas por conta do trabalho, e os homens, apenas 20%.

Grande parte das empreendedoras tem entre 18 e 29 anos; a faixa etária representa cerca de 35% das donas de lojas online. Já os homens da mesma faixa etária representam 31% dos empreendedores.Ou seja, ambos estão começando cedo a ser donos de negócios, embora as jovens mulheres tenham uma participação um pouco maior nisso.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

O levantamento também aponta que 36,5% das mulheres que lideram e-commerce têm ensino superior completo e 20,2% já concluíram a pós-graduação. Entre os homens, 27,5% não terminaram a faculdade e apenas 10% finalizaram a pós-graduação. O perfil feminino, portanto, valoriza a educação superior, ou talvez dependa mais dela como um diferencial.

Empreendedorismo feminino: 36,3% das mulheres disseram ter tido problemas de saúde por conta do trabalho (Imagem: Reprodução/Jenny Ueberberg/Unsplash)

Índices do empreendedorismo feminino online

Os setores que mais contam com a presença feminina são:

  • Arte (72%);
  • Materiais para escritório (70%);
  • Acessórios de moda (69%);
  • Produtos eróticos (67%);
  • Joias (63%).

A principal motivação para a criação das lojas online, entre as empreendedoras, é a expansão do negócio para aumentar as vendas (65,3%). Em segundo lugar, ter mais autonomia e liberdade (48,8%). Sobre dificuldades para empreender, tanto mulheres quanto homens apontam o dinheiro e a falta de crédito como as principais dores.

No quesito rede social, as mulheres utilizam mais o WhatsApp como canal de vendas complementar ao site do que homens (76,3% x 67,5%). Já para a criação e publicação de conteúdo, o foco é nas plataformas de fotos e vídeos:

  • 98,2% das mulheres utiliza o Instagram (contra 90,4% dos homens empreendedores);
  • 30,4% delas usa o Tik Tok (contra 18,3% dos homens);
  • 24,5% delas usa o Pinterest (contra 9,2% dos homens).

Em 44,7% dos casos, as mulheres já fizeram trabalhos e parcerias com influenciadores digitais e 43% das entrevistadas não trabalharam esse tipo de divulgação em 2021, mas têm interesse para 2022. Sobre planos para melhorar o negócio neste ano, 77% das empresárias responderam aprender mais sobre estratégia de e-commerce.

Fonte feed: canaltech.com.br

Veja também