EUA devem decidir vacinação de crianças com menos de 5 anos em abril

A decisão sobre o uso da vacina da farmacêutica norte-americana Pfizer em bebês com mais de 6 meses a crianças com menos de 4 anos foi adiada nos Estados Unidos — e só deve ser definida em abril deste ano. As autoridades de saúde pediram por mais dados sobre eficácia e segurança do imunizante contra a covid-19 nesse público.

Após analisar os últimos documentos enviados pelas empresas Pfizer e BioNTech na última semana, a agência Food and Drugs Administration (FDA) — com função similar a da Anvisa no Brasil — afirmou que mais dados eram necessários sobre os estudos clínicos com bebês e crianças contra a covid-19.

Autorização de uso da vacina da Pfizer em quem tem menos de 5 anos só deve ser concedida em abril (Imagem: Reprodução/Ha4ipuri/Envato)

Inicialmente, o governo dos EUA planejava iniciar a imunização dessas crianças a partir do dia 21 de fevereiro. Agora, os prazos devem ser readequados. O país estima que 18 milhões de norte-americanos poderão se beneficiar da autorização de uso da vacina contra a covid-19, caso a fórmula da Pfizer/BioNTech seja aprovada.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Por que adiar a decisão da vacina?

“Se algo não atende ao padrão [dos requisitos da organização], não podemos prosseguir”, explicou Peter Marks, diretor do Centro de Avaliação e Pesquisa Biológica da FDA, para a agência de notícia Reuters. Como esses dados complementares ainda são esperados, o pedido de autorização está apenas suspenso.

“Faz sentido esperar que os dados de segurança e eficácia de todas as três doses estejam disponíveis antes de decidirmos sobre esta vacina”, completou Paul Offit, do Hospital Infantil da Filadélfia e um dos membros do comitê de análise da FDA.

Vale destacar que, diferente dos outros grupos etários, a Pfizer busca autorizar a vacina para bebês e crianças já com as 3 doses, porque têm uma concentração menor do que a vacina normalmente aplicada. Além disso, os primeiros os resultados preliminares demonstraram que o esquema de duas doses gerava uma resposta imune em crianças de 2 a 4 anos que era inferior à resposta medida entre os voluntários com 16 a 25 anos em estudos clínicos.

Fonte: Reuters  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.

Fonte feed: canaltech.com.br

Veja também