Fintech do grupo Alibaba pune 56 contas por revenda de NFTs na China

Na última terça-feira (24), a plataforma de NFTs — chamados oficialmente de “digitais colecionáveis” na China para dissociá-los das criptomoedas — do Ant Group, Jingtan, puniu as contas de 56 usuários por violarem a regra da proibição da revenda de artigos digitais da China. O Ant Group é uma fintech ligada ao gigante oriental Alibaba.

De acordo com o Jingtan, as contas punidas serão impedidas de transferir NFTs, porém a empresa não especificou se aplicará mais restrições, além da proibição da transferência dos ativos.

A função de transferência, estipula que os indivíduos que detenham qualquer “colecionável digital” por mais de 180 dias, podem transferi-lo para outros usuários maiores de 14 anos e residentes na China. Caso o destinatário queira transferir novamente o ativo digital, ele deve esperar por um intervalo de dois anos.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Nos últimos meses, Pequim tem adotado medidas mais rígidas em relação às tecnologias que envolvem o blockchain, com o banimento das criptomoedas e a proibição da revenda dos “colecionáveis digitais” por motivos regulatórios de especulação e lavagem de dinheiro.

O Jingtan expressou sua firme oposição a qualquer forma de revenda de “colecionáveis ​​digitais” e também concordou que a revenda muitas vezes tem riscos de fraude e leva à especulação — revelando uma grande diferença entre os produtos baseados em blockchain da China continental em comparação com o resto do mundo, onde tornaram-se ativos de investimento especulativo.

Esta não é a primeira vez que o Jingtan sanciona contas devido a violações. Em janeiro, a empresa chegou a punir mais de 300 contas por usar plug-ins e scripts para comprar “colecionáveis ​​digitais”.

Empresas na China apostam em NFTs

Nos últimos meses, diversos gigantes de tecnologia da China entraram na corrida dos “colecionáveis digitais” — Alibaba, Tencent Holdings, JD.com e Baidu são algumas das empresas que já vendem este tipo de ativos.

Apesar da febre dos NFTs, as empresas têm tido cautela com relação à operação dos ativos, considerando a postura do governo chinês em relação às tecnologias baseadas em blockchain.

Em novembro do ano passado, o portal de notícias do Partido Comunista, People’s Daily, publicou um artigo questionando a febre de investimento em NFT , chamando-o de “jogo de soma zero estimulado por investidores e capital de criptomoedas”.

Fonte: SCMP

Fonte feed: canaltech.com.br

Veja também