GTA 6: o que queremos ver no jogo

Após alguns anos de especulações, a Rockstar finalmente confirmou que o novo jogo da franquia Grand Theft Auto está em desenvolvimento. O lançamento, entretanto, parece distante, com o estúdio mantendo todos os detalhes sobre o game em segredo. Não sabemos nem mesmo se o game será chamado de GTA 6.

Qual será o protagonista? Será que veremos mais de um mapa? São muitas perguntas que ainda não foram respondidas, mas já está permitido sonhar, não é? Por isso, separamos a seguir tudo o que queremos ver em um novo Grand Theft Auto, que terá a difícil missão de superar o sucesso estrondoso de GTA 5.

6. Uma protagonista feminina

Já passou da hora de GTA ter uma protagonista feminina. (Imagem: Reprodução/Rockstar Games)

Rumores de que GTA 6 pode ter uma protagonista feminina já rolaram no passado — se vai acontecer, não sabemos. Mas fato é que este é o momento certo de introduzir uma personagem para tomar as rédeas do jogo e oferecer uma novidade para a franquia. Após cinco jogos com foco em protagonistas homens e dos mais variados tipos, ter uma protagonista feminina de destaque seria interessante e pode render uma boa história. Já passou da hora de ver uma mulher em GTA que não exista apenas para alívio cômico ou interesse romântico, né?

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Mesmo com todos os defeitos do lançamento e problemas no jogo, Cyberpunk 2077 mostra que não existem problemas em adaptar uma história que possa servir para ambos os gêneros. E se tem uma empresa que pode fazer esse tipo de história dar certo, é a Rockstar.

5. Se possível, mais de uma cidade

Los Santos em GTA V já foi incrível, mas imagine ter mais de uma cidade para explorar. (Imagem: Reprodução/Rockstar Games)

GTA V foi o retorno da franquia para Los Santos, cidade clássica do universo da Rockstar. Alguns rumores apontam que Vice City pode ser o palco do próximo jogo. Mas por que parar por aí? E se GTA 6 aproveitar a nova geração para ter mais de um mapa, com ambientações em diferentes cidades? Sabemos o quão dedicada é a Rockstar em criar o cenário perfeito, principalmente quando o quesito é transportar regiões de verdade para o videogame.

Imagine um GTA com a possibilidade de transitar entre as cidades? Com missões em Vice City, Liberty City e Los Santos? Ou melhor ainda: vamos pensar em algo fora da tradição, com uma localidade completamente inédita e fora dos Estados Unidos. Durante muitos anos, a comunidade brasileira sonha em ver um GTA no Rio de Janeiro, e a nossa cidade maravilhosa tem tudo o que é necessário para abrigar as características que uma história da franquia exige.

Além dos mapas variados, podemos desejar um mundo ainda mais vivo, com brigas entre gangues rivais acontecendo nas ruas. Será que os consoles da nova geração vão dar conta do recado? E, mais importante, será que a Rockstar está interessada em dar um passo tão ambicioso como este?

4. Mais de um protagonista

Trevor, Franklin e Michael foram um sucesso enorme em GTA V. (Imagem: Divulgação/Rockstar Games)

GTA V colocou a barra bem alta para seu sucessor. Contando a história de Michael, Trevor e Franklin, o quinto jogo da franquia foi um divisor de águas ao introduzir três protagonistas jogáveis, que podem ser selecionados pelo jogador em qualquer momento do gameplay.

Além da protagonista feminina, gostaríamos de ver o uso desta mecânica mais uma vez. Não precisa ser, necessariamente, um jogo com três personagens principais de novo — dois já estão de bom tamanho também. Mas essa ideia casa bem com a proposta de ter um mundo aberto com mais de um mapa, com cada trecho do jogo mostrando os problemas e dramas de seus protagonistas.

3. Maior integração com o modo online

GTA Online ainda faz bastante sucesso, e GTA 6 pode expandir isso. (Imagem: Divulgação/Rockstar Games)

Um dos pontos fortes de GTA 5 é justamente GTA Online, que permanece ativo, cheio de jogadores e com a adição frequente de novidades. Levando tudo isso em consideração, é esperado que o multiplayer continue vivo por muitos anos e permaneça integrado com os próximos jogos de alguma maneira.

Alguns personagens da narrativa de GTA V aparecem em missões do multiplayer, mas acho que podemos sonhar com algo que vai além. E se o seu personagem do modo online participasse da história principal de alguma maneira, talvez em atividades secundárias? Ou, quem sabe, imaginar a possibilidade de terminar toda a campanha cooperativamente com algum amigo, como já acontece nas tarefas do GTA Online. São muitas opções, mas pode ter certeza de que a Rockstar não vai esquecer do modo multiplayer tão cedo.

2. Formas de dominar a cidade

GTA 6 pode explorar mais a cidade como parte da jogabilidade. (Imagem: Divulgação/Rockstar Games)

Ainda no âmbito das gangues, seria interessante usar o recurso de eliminar os adversários para dominar a cidade. Em San Andreas, você podia participar de brigas contra grupos rivais e dominar territórios. Sabemos que isso era pouco explorado, muito pelas limitações do PlayStation 2, mas podemos retomar esse conceito na nova geração.

Imagine colocar o protagonista no comando da principal gangue da cidade, com a possibilidade do jogador conquistar territórios, liderar Golpes e formar um conjunto de bens próprios — isso já acontece em GTA Online, o que deixa tudo ainda mais fácil de ser transportado para a campanha.

1. O humor ácido da franquia, mas atualizado

GTA V provavelmente completará 10 anos de vida antes do seu sucessor chegar ao mercado. Muito mudou desde então, não só no cenário político mundial, mas na sociedade como um todo. Sabemos que a Rockstar gosta de colocar o dedo na ferida na forma de críticas e sátiras bem pontuais sobre alguns acontecimentos do mundo real.

Os roteiristas de GTA 6 precisam atualizar o humor da franquia para focar em aspectos que realmente merecem virar piada e deixar algumas bobeiras e ofensas no passado. São novos tempos, e a Rockstar precisa entender que o público de videogames não é mais o mesmo do que era há 10 anos.

Fonte feed: canaltech.com.br

Veja também