Nova técnica da AMD promete upscaling de jogos com cara de resolução nativa

Confirmando rumores, a AMD anunciou nesta quinta (17) o FidelityFX Super Resolution 2.0 (FSR 2.0), nova versão da técnica de upscaling para games da companhia.

A novidade promete qualidade de imagem significativamente superior frente ao FSR 1.0, por adotar um novo método de reconstrução baseado em um algoritmo temporal, enquanto mantém as características elogiadas do antecessor, como o suporte a hardware de concorrentes.

AMD FSR 2.0 chega prometendo qualidade similar à nativa

A primeira mudança de grande impacto trazida com o FSR 2.0 é o uso de upscaling temporal, em vez da técnica espacial aplicada na primeira geração.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Enquanto o método espacial avalia informações presentes apenas no quadro renderizado no momento, o algoritmo temporal utiliza dados dos quadros renderizados anteriormente para reconstruir a imagem, garantindo assim que uma quantidade maior de detalhes seja preservado.

O AMD FSR 2.0 combina dados de múltiplos quadros com informações de movimento e cor para garantir que a imagem final tenha qualidade igual ou superior à resolução nativa (Imagem: AMD)

Essa é a mesma técnica utilizada pelos rivais DLSS da Nvidia e XeSS da Intel, e deve proporcionar uma melhoria drástica no visual dos games em comparação ao FSR 1.0, que sofria com alguns artefatos pelo uso do upscaling espacial.

Outras duas novidades de peso são o uso das cores e dos vetores de movimento (a movimentação da cena) para garantir maior precisão na reconstrução, mesmo quando o jogador estiver movendo a câmera.

A AMD garante que com o FSR 2.0, os games oferecerão qualidade de imagem igual ou superior à resolução nativa, com os benefícios de ganhos de até 100% nas taxas de quadros, já que a resolução em que os títulos são renderizados é menor.

Fora isso, por não depender de hardware de Inteligência Artificial como o DLSS, o novo método também estará disponível para placas concorrentes, incluindo as linhas GeForce e Intel Arc, além dos consoles de nova geração.

Um ponto curioso é que, mesmo com as melhorias e a suposta qualidade competitiva com as técnicas de rivais, o FSR 2.0 se manterá Open Source, estando disponível através do portal AMD GPUOpen para todos os desenvolvedores.

O FidelityFX Super Resolution 2.0 estreia na segunda metade de 2022, com Deathloop sendo um dos jogos confirmados a trazer a função, como revelaram as demostrações da nova técnica.

Informações adicionais e serão dadas durante palestra da AMD na Game Developers Conference (GDC), conferência dedicada aos desenvolvedores de games, em 23 de março.

Radeon Super Resolution chega com novo driver

Paralelo a isso, a AMD disponibilizou um novo driver que habilita nas placas da companhia o Radeon Super Resolution (RSR), outra técnica de upscaling anunciada durante a CES 2022, baseada no FSR 1.0.

A solução tem a vantagem de atuar globalmente, sendo compatível mesmo com jogos em que não houve implementação do FSR por parte dos desenvolvedores.

Implementando o FSR 1.0 a nível de driver, o Radeon Super Resolution já está disponível com o update mais recente (Imagem: Reprodução/AMD)

Vale destacar, no entanto, a presença de algumas desvantagens: além de suportar apenas GPUs Radeon das séries RX 5000 e RX 6000, o RSR é aplicado em todos os aspectos do game, incluindo a interface, em vez de atuar apenas nos elementos 3D, o que pode resultar em menor qualidade geral de imagem.

Ainda assim, os ganhos nas taxas de quadros são mantidos. O RSR pode ser habilitado através do Radeon Software Adrenalin, com o driver de versão 22.3.1.

Fonte: AMD, WCCFTech

Fonte feed: canaltech.com.br

Veja também