Novo método de impressão cria painéis de perovskita parecidos com mármore

Pesquisadores do Instituto de Tecnologia de Karlsruhe (KIT), na Alemanha, desenvolveram painéis solares de perovskita que se parecem com pedras de mármore. A nova técnica de tingimento permite que os módulos sejam utilizados como revestimento para prédios ou grandes galpões industriais.

Para colorir os módulos solares de perovskita, os cientistas usaram um método de impressão de jato de tinta inovador que, além de ser muito mais barato em comparação com sistemas convencionais de pintura, também é mais eficiente para a cobertura de superfícies maiores.

“A comercialização dessa tecnologia ainda é impedida pela falta de estabilidade dos módulos e pela dificuldade de transferir as altas eficiências alcançadas em escalas pequenas para sistemas maiores. Com essa nova técnica, muitos desses painéis podem ser integrados em partes ainda não utilizadas de edifícios como fachadas, sem comprometer o projeto arquitetônico”, explica o professor Ulrich W. Paetzold, autor principal do estudo.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Painéis coloridos

O método de colorização baseado em pigmentos refletivos impressos a jato de tinta pode ser adaptado para painéis fotovoltaicos de perovskita de diversos tamanhos. Outra vantagem dessa técnica é que o tingimento desses módulos solares não depende do ângulo da luz incidente.

Esquema de impressão de jato de tinta sobre painéis de perovskita (Imagem: Reprodução/KIT)

Com isso, a cor ou textura parecem sempre as mesmas, independente da perspectiva de observação, mantendo a capacidade de absorção solar quase invariável. Nos testes realizados em laboratório, células fotovoltaicas coloridas de ciano, magenta e amarelo atingiram 60% de sua eficiência original ao converter energia solar em eletricidade.

“Até agora, limitamos nossas análises às cores das tintas básicas, ou seja, branco, ciano, magenta e amarelo. No entanto, esse método de colorização é capaz de produzir impressões de cores mais vivas, com padrões e texturas que podem ser aplicados em qualquer superfície fotovoltaica de perovskita”, acrescenta Paetzold.

Parece mármore

Como o processo de impressão é feito com jatos de tinta, as cores podem ser misturadas quase infinitamente, criando padrões complexos de tingimento. Durante os experimentos, os pesquisadores produziram módulos solares imitando diversos materiais de construção usados como revestimentos.

Método permite a impressão de cores e padrões quase infinitos (imagem: Reprodução/KIT)

Os painéis solares de perovskita com aparência semelhante a pedras de mármore branco, por exemplo, atingiram uma eficiência energética — capacidade de transformar a luz solar absorvida em eletricidade — de 14%. Esse resultado foi obtido com a colorização de uma área com apenas 4 centímetros quadrados do módulo fotovoltaico.

“Para um sistema de energia solar integrado a fachada de edifícios, é possível afirmar que uma célula fotovoltaica, mesmo com uma eficiência pequena de 14%, é muito melhor que uma parede de concreto que não fornece energia alguma”, encerra o professor Ulrich W. Paetzold.

Fonte: Karlsruhe Institute of Technology

Fonte feed: canaltech.com.br

Veja também

Menu