O que avaliar antes de comprar um tablet?

Um tablet pode ser muito útil para produtividade e consumo de mídia do que um celular. Telas grandes, com touchscreen, abrem novas possibilidades de uso que não necessariamente são adotadas em produtos menores. Assim, como avaliar o que é importante e qual é o melhor tablet para comprar?

Quanto custa um tablet?

Essa é uma pergunta que depende do objetivo que você tem em mente. Quer um tablet para jogar? Para assistir filmes e séries? Para desenhar? Para estudar? O tamanho da tela e o processador vão importar muito dependendo da atividade.

Tablets podem ampliar possibilidades em produtividade e consumo de mídia (Imagem: Unsplash/Timothy Muza)

Assim, você encontrará pontos cruciais de avaliação dependendo de cada objetivo, o que ajuda a reduzir a lista de potenciais modelos.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Tablet para estudar

Se seu objetivo é um tablet voltado a tarefas simples, como leitura e marcação de PDFs, videoaulas e atividades EAD, a boa notícia é que não é preciso gastar muito. Dispositivos voltados a essas tarefas são geralmente comercializados a preços abaixo dos R$ 1.500, já que não exigem um chip de alta potência.

Mesmo assim, esse tipo de modelo é eficiente para videochamadas no Zoom, abertura de PDFs e outros formatos de texto, e navegação web para pesquisas acadêmicas.

Tablets podem ser ótimos companheiros nos estudos (Imagem: Prostock-studio/envato)

O tamanho compacto desse tipo de produto também pode ajudar no transporte na mochila, por exemplo. No Brasil temos modelos, como os da família Galaxy Tab A da Samsung, com tamanhos entre 7 e quase 9 polegadas, em proporção de tela que lembra um caderno.

Os preços giram em torno dos R$ 1 mil. Ou seja, para usuários que não precisam trabalhar com edição avançada ou softwares complexos, é possível comprar um aparelho que vai atender suas necessidades sem gastar muito, como em um notebook. Um deles, o Galaxy Tab A S Pen, como o nome sugere, traz suporte à stylus da Samsung. Boa para anotações, mas seu hardware e tamanho não são ideais para artistas que desejam produzir arte digital.

Quem quiser apostar em Apple, o iPad Mini 5 pode ser o aliado perfeito graças ao seu hardware de alta performance e corpo compacto. Ele também conta com suporte para a Apple Pencil, facilitando ainda mais anotações no dia a dia. O preço, porém, é mais elevado: a partir dos R$ 3 mil.

Tablet para criança

Não se engane: tem muito tablet no mercado que traz capinhas e apps personalizados para crianças, mas que no fim das contas, entrega uma experiência insatisfatória de uso.

Se para a criança a “cara” do produto é importante, o mais interessante é comprar uma capinha do personagem favorito dela, mas escolher o tablet sem se deixar levar por esse recurso de publicidade.

Tablets podem ajudar em tarefas e entretenimento de crianças (Imagem: Kelly Sikkema/Unsplash)

Para crianças em idade pré-escolar, uma boa opção é apostar em um dispositivo que possa entregar bom consumo de mídia (YouTube Kids ou outras plataformas de conteúdo infantil) e alguns jogos educativos e mais leves. Assim, o mais simples dos iPads modernos, ou tablets como o Galaxy Tab A7 2019 e Galaxy Tab A7 10.4 poderão atender bem.

Já para os pequenos mais exigentes, ainda assim um iPad dos últimos dois anos deve atender bem o uso diversificado. No cenário Android, é preciso ter um pouco mais de cuidado, e apostar em boa quantidade de memória RAM para lidar com jogos mais pesados, redes sociais, e apps para estudos. Modelos como o Galaxy Tab A7 Lite 4G e Galaxy Tab S7 Fan Edition podem atender melhor.

Tablet para assistir filmes e séries

Quem deseja um tablet para assistir suas séries e filmes, a boa notícia é que essa é outra atividade que não vai exigir processador e componentes mais avançados do mercado. Mas aqui você talvez queira uma tela grande, certo?

No Brasil encontramos tablets com tela de 10 ou mais polegadas, um tamanho confortável para consumo de mídia. É o caso do Galaxy Tab A7 10,4, ou se você já está acostumado ao ecossistema Apple, dos iPads mais “básicos”. O dispositivo da Maçã tem preço mais elevado, porém será mais versátil para uma série de outras atividades.

Em ambas as plataformas, porém, é possível instalar Netflix, Amazon Prime Video, Disney Plus, HBO Max, Paramount Plus, Globoplay, Discovery Plus, Pluto TV, Crunchyroll, Funimation, e os mais diversos outros serviços que existem e estão disponíveis no Brasil. Isso porque, assim como nos celulares, os apps estão disponíveis via Play Store e App Store para tablets.

Tablet para jogar

Quando o assunto é tablet para jogar, processador, memória e armazenamento interno passam a contar bastante. Assim, será necessário gastar um pouco mais a fim de evitar frustrações futuras, e garantir uma experiência excelente.

Fortnite é um dos jogos mais populares (Imagem: Divulgação/Epic Games)

No mundo Android, uma boa pedida pode ser o Xiaomi Pad 5. Além do processador Snapdragon 860, ele tem taxa de atualização de 120Hz. Ou seja, consegue proporcionar jogatina fluida, com boa taxa de quadros, e sensação ótima de movimento principalmente em títulos dinâmicos, como FPS.

No mundo iOS, um iPad ainda dará conta com maestria de tarefas intensas, como por um exemplo, um MMORPG.

Exemplos de bons tablets para jogar são os iPad 8 e 9, Air 3 e Air 4. Qualquer dispositivo da Apple trará bom processador para os mais diversos games, porém, estes modelos oferecem tela grande e melhor custo-benefício. Você certamente não precisa, por exemplo, de um iPad Pro (2021) WiFi se sua intenção for apenas jogar.

Tablet para desenhar

Um ponto crucial a ser observado na compra de um tablet para desenhar é sua compatibilidade com uma caneta stylus. E atenção: a maioria dos modelos só trabalha, em pleno potencial, com acessórios específicos.

Apple Pencil é a solução para iPads (Imagem: Divulgação/Apple)

Esses modelos vão ter um custo maior de compra, e no Brasil temos opções como o Galaxy Tab S7 FE, S6 Lite, iPads a partir da sexta geração, iPad Air de 3º geração ou posterior, iPad Mini 5 ou mais recente, e os iPads Pro.

Qualquer um deles, além da compatibilidade com uma stylus, oferece boa performance. Assim, o usuário não vai precisar se preocupar tanto com a capacidade deles de lidarem, também, com a complexidade dos apps artísticos utilizados.

Cabe destacar que a compra da canetinha compatível se dá à parte na maioria dos produtos. E, no caso dos iPads, é essencial observar se a compatibilidade é com a Apple Pencil de primeira ou segunda geração.

Tablet para edição

Se a sua procura for por um tablet capaz de editar fotos e vídeos, para além de outras atividades, é necessário gastar um pouco mais a fim de garantir desempenho para lidar com ferramentas que tendem a consumir muito hardware.

Nesse tipo de modelo, a vantagem é que dá para fazer quase tudo possível nos outros: jogar títulos pesados, navegar em redes sociais, estudar, assistir vídeos, e em alguns até mesmo desenhar se houver o suporte para stylus.

iPad Pro tem conexão USB-C (Imagem: Divulgação/Apple)

Um compatível com tudo isso é o iPad Pro M1, tanto a versão de 11 como a de 12,9 polegadas. Usuários Android têm como boas opções os Galaxy Tab S7 e S7 Plus. Todos estes são compatíveis também com Apple Pencil/S Pen.

Quem deseja um produto Apple e quer pagar um pouco menos, o iPad Mini 6 já se mostrou muito capaz de oferecer performance de ponta. A observação aqui é, como o nome sugere, o tamanho reduzido da sua tela. Ele pode não ser o melhor aliado na hora de lidar com muitos controles disponíveis na interface, ou linhas do tempo.

Tablet com 4G

A maioria dos modelos apresentados na matéria conta com opção nativa ou opcional de rede celular. Cabe destacar que esse suporte visa oferecer conexão à internet fora de casa e independentemente de Wi-Fi, não sendo possível, na grande maioria das vezes (como nos iPads) realizar chamadas.

Se isso é importante para você, vale a pena pagar um pouco mais e garantir a independência de hotspots fora de casa. Usuários que usam o tablet para trabalho podem considerar essa uma função essencial. Agora, outros perfis de usuários acabam não se beneficiando muito disso.

Ainda assim, sempre será possível transformar o celular em um ponto de Wi-Fi para compartilhamento da internet com o tablet.

Conclusão

Infelizmente o Brasil não conta com opções tão diversas como o mercado internacional. Há forte representação da Samsung e Apple, com outras marcas oferecendo modelos pontuais, que por muitas vezes se mostram pouco competitivos.

Pelo menos, há diversificação suficiente para que o usuário possa comprar um tablet baseado no que deseja usar — sem necessariamente pagar mais caro por recursos que não precisa. Dessa forma, esperamos ter auxiliado da melhor maneira possível na escolha do seu próximo dispositivo!

Fonte feed: canaltech.com.br

Veja também

Menu