O que é staking de criptomoedas?

As criptomoedas são um ativo financeiro completamente digital que dependem de uma rede de registros protegida por criptografia chamada blockchain, que garantem sua segurança. O staking de moedas digitais concorrentes do Bitcoin é uma alternativa que permite ao investidor garantir a estabilidade desse mercado, e ao mesmo tempo, lucrar com isso.

Como falamos acima, blockchain é uma rede de dados de transações mantida de forma descentralizada, sem uma autoridade do governo controlando-a, como ocorre com o dinheiro físico, gerido pelo Banco Central. Para validar uma criptomoeda, essa rede é mantida por computadores que “mineram” as moedas, isto é, solucionam quebra-cabeças criptográficos para forjá-las digitalmente.

Esse tipo de rede de mineração de blockchain chama-se proof of work (PoW); exemplos disso são os ativos digitais Bitcoin, Litecoin e Monero. O problema é que a mineração depende de computadores potentes, e portanto, muito caros. Sem falar do alto consumo de energia elétrica, que encarece a operação para muita gente e ainda prejudica o ambiente.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Bitcoin (acima) usa a rede proof of work; já outras criptomoedas como Ethereum 2.0 usam staking (Imagem: leungchopan/envato)

Já uma rede proof of stake (PoS) substitui tudo isso com um comprometimento de fundos chamado staking. A grosso modo, um grupo de investidores — que aqui serão chamados de validadores — aplica e “trava” seus criptoativos em um nó da rede. Ao fazerem isso, eles ajudam esta rede blockchain a validar novas transações de outros investidores.

Na PoW, os investidores que mineram criptomodas ganham em troca mais moedas. Já o validador da PoS também é recompensado com rendimentos em forma de tokens. Algumas delas que entram nesse investimento são Ethereum 2.0, Cardano, Polkadot, Solana, Polygon, Neo, Stellar e EOS.

Vantagens e desvantagens do staking de criptomoedas

O staking traz como vantagens não demandar grande conhecimento teórico, como ocorre na mineração; não depende de equipamentos caros e potentes para fazer parte (celulares ou computadores comuns são suficientes); tem investimento inicial baixo por não demandar uma grande parte do seu patrimônio (há investidores que fazem consórcios de staking; e ajuda na segurança e estabilidade da rede blockchain.

Como desvantagens, ele tende a uma centralização dos processos, já que os investidores que detêm mais tokens podem ter mais influência sobre a rede; os preços das suas respectivas criptomoedas ainda são voláteis e podem desvalorizar com o tempo; e algumas moedas podem exigir o bloqueio delas por períodos definidos, impedindo sua recuperação.

Fonte: Portal do Bitcoin, FinanceOneReal Valor

Fonte feed: canaltech.com.br

Veja também

Menu