Open insurance: conheça desafios e oportunidades do setor de seguros

Como parte do sistema open finance, a partir de dezembro o open insurance vai entrar em vigor. Com isso, as empresas de seguros poderão oferecer produtos e serviços de seguros, previdência complementar aberta e capitalização a consumidores que permitirem o compartilhamento de informações.

Isso deve tornar o segmento mais competitivo, seguro, ágil, preciso e conveniente: os dados compartilhados serão utilizados na criação de produtos e serviços que atendam às necessidades dos clientes. Nesse cenário, há desafios e oportunidades para as seguradoras. Acompanhe, a seguir, os principais deles.

Personalização

O seguro precisa suprir as necessidades e ser de fato útil para o cliente. “A empresa precisa estudar os dados, conhecer as preferências, os planos e o estilo de vida do cliente”, destaca Leandro Felix, diretor de seguros e saúde da Pegasystems. “Assim, será possível criar o produto ideal para ele.”

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Produtos serão adaptados às necessidades do cliente (Imagem: Reprodução/Envato/stokkete)

Agilidade

Como os dados dos clientes serão expostos para outras seguradoras, que podem oferecer melhores opções, agilidade e assertividade serão diferenciais. “A tecnologia é uma forte aliada das empresas nesse sentido: com inteligência artificial, pode-se estudar o perfil dos consumidores e oferecer produtos alinhados às necessidades deles”, destaca Felix.

Tecnologia

Investimentos incorretos em tecnologia da informação (TI) podem resultar em perdas financeiras. Uma pesquisa da Pegasystems com 750 líderes de TI de 10 países (Américas, Europa e Ásia-Pacífico) aponta que 58% dos entrevistados perderam entre US$ 1 milhão e US$ 10 milhões nos últimos 5 anos ao optarem por soluções inadequadas. “Apenas 12% relataram que todos os investimentos feitos em TI foram recompensados nos últimos 5 anos”, diz Felix.

Integração de dados

As seguradoras têm muitos dados — em seguros de vida, auto, residencial, viagem, patrimonial e outros —, que geralmente não estão interligados. No open insurance, é importante conectar essas informações e analisá-las para entender cada cliente. “Somente assim será possível criar o melhor produto e oferecê-lo no momento mais estratégico, ágil e assertivo.”

Inteligência artificial vai ajudar a criar produtos personalizados (Imagem: Reprodução/Pixabay/Gerd Altmann)

Seguros sob demanda

Muitos consumidores não contratam seguros porque é preciso pagar um valor fixo mesmo sem utilizar o serviço. No open insurance, há a opção do seguro sob demanda, em que o pagamento é proporcional ao tempo e ao serviço utilizado. Além de suprir as necessidades do cliente, é uma opção mais vantajosa financeiramente, porque se paga somente pelo que realmente se precisa.

Fonte feed: canaltech.com.br

Veja também

Menu