Realidade virtual ajuda a decidir aquisição de imóveis, diz estudo

Sete em cada dez clientes acreditam que uma visita de realidade virtual a um imóvel facilita muito a decisão de fazer uma proposta para alugá-lo ou comprá-lo. É o que diz uma nova pesquisa da Capterra, plataforma de comparação de softwares empresariais.

Quase todos os ouvidos no estudo (99%) disseram que fariam uma visita assim. Das pessoas que o realizaram, 90% classificou a experiência como muito útil. Elas também destacaram (76%) que o tour ajudou muito na decisão de visitar o apartamento pessoalmente. Apesar disso, somente dois de cada dez entrevistados fizeram esse tipo de visita durante seu processo de compra ou aluguel de imóveis.

Segundo o levantamento, metade dos consumidores realizou algum tipo de visita virtual na hora de selecionar imóveis para compra ou aluguel. Compradores ou inquilinos entre 26 e 35 anos são os que mais veem facilidade na tecnologia. Mas o método preferido foi o híbrido; seis de cada dez entrevistados disseram ter visitado imóveis virtual e presencialmente.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Quem não realizou o tour virtual não foi por não gostar da tecnologia: 40% só não o realizaram porque não estava disponível por parte da imobiliária.

Metade dos consumidores realizou algum tipo de visita virtual na hora de selecionar imóveis para compra ou aluguel (Imagem: Reprodução/Leohoho/Unsplash)

Os consumidores também apontaram desvantagens da ferramenta no mercado imobiliário: 47% queixaram-se de não poder conhecer os arredores da propriedade quando o conhecem apenas por realidade virtual. Além disso, 36% citaram a incapacidade de avaliar a estrutura de uma casa; e 35% apontaram a dificuldade em avaliar a iluminação natural de um imóvel.

“Também é necessário manter atenção às limitações das tecnologias para poder investir em soluções que preencham eventuais brechas. No caso de informações dos arredores, uma boa descrição pode ajudar a esclarecer as dúvidas dos interessados”, explica Marcela Gava, analista do Capterra responsável pelo estudo.

Fonte: Capterra (via press-release)

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.

Fonte feed: canaltech.com.br

Veja também

Menu