Review Caoa Chery Tiggo 3X Pro | Será que encara Fiat Pulse e VW Nivus?

O mercado brasileiro de SUVs está saturado, com inúmeros modelos, de diferentes tamanhos, propostas e preços. Para avançar em volume de vendas e conquistar uma fatia do público, inteligentemente a Caoa Chery decidiu investir em utilitários e crossovers, com o primeiro dessa nova fase sendo o Tiggo 2, lançado em 2018.

Um carrinho charmoso, com porte um pouco maior do que os hatches compactos e que dizia ser a porta de entrada para o mercado de SUVs. O sucesso repentino fez com que outras montadoras seguissem essa receita: a Volkswagen inventou o Nivus e depois a Fiat lançou o Pulse.

Ciente de que a concorrência viria com tudo, a Caoa Chery se antecipou e, em 2021, trouxe uma atualização importante para o Tiggo 2, o Tiggo 3X Pro, que deu ao modelo uma boa evolução em termos de tecnologia, design e desempenho.

Mesmo com toda essa evolução em comparação ao seu antecessor, o Tiggo 3X Pro pode não ser suficiente para encarar seus rivais.

O Tiggo 3X Pro pode ser sua porta de entrada para o mundo dos SUVs (Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech)

O Canaltech teve a oportunidade de passar um tempo com o SUV de entrada da Caoa Chery e vai te contar em detalhes como foi a experiência. Vem com a gente!

Prós

  • Porta-malas excelente
  • Acabamento acima da média para o segmento
  • Design atraente
  • Preço abaixo dos rivais topo de gama
  • Dirigibilidade

Contras

  • Desempenho aquém do esperado
  • Central multmídia ruim
  • Fica devendo em itens de segurança
  • Espaço menor do que dos rivais

Conectividade e Segurança

A Caoa Chery sabia que precisaria mexer bastante no Tiggo 2 para que ele ficasse mais atraente e, com a chegada do Tiggo 3X Pro, a impressão é que a empresa segurou a mão na hora de dar o banho de loja que o SUV de entrada realmente merecia. Talvez para ele não ficar tão caro e perder sua competitividade.

De série, a versão Pro traz uma central multimídia de 9 polegadas com espelhamento do Android Auto e Apple CarPlay, algo que o antigo Tiggo 2 não tinha. Esse equipamento, apesar do bom tamanho do display, mostrou-se um pouco aquém do esperado, sobretudo na qualidade do som e resolução da tela.

Central multimídia do Tiggo 3X Pro fica devendo em qualidade (Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech)

Entretanto, se você não for uma pessoa ávida por apetrechos tecnológicos em seu carro, ela vai te atender completamente.

Mas é no quesito segurança que o Tiggo 3X Pro pode ter suas maiores críticas. Além de não ter sistemas avançados de auxílio ao motorista, o SUV é equipado com apenas dois airbags, obrigatórios por lei.

Ao menos há os controles de estabilidade e tração, além de um sistema de auxílio em declives. Os freios possuem discos nas quatro rodas e também há um auxiliar de partida em rampa, que ajuda bastante na cidade.

Apesar dessas falhas, há alguns mimos que podem deixar a experiência de ter um Tiggo 3X Pro mais agradável, como o rebatimento elétrico dos retrovisores, chave presencial com detector de distância, partida remota, câmera de ré e sensores de estacionamento.

Design simpático do Tiggo 3X Pro (Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech)

Mesmo sendo um carro de entrada na linha da montadora, a sensação que dá é que dava para equipá-lo mais para que ele ficasse ainda mais atraente. Um veículo com preço superior a R$ 110 mil deveria ter, ao menos, quatro airbags e uma central multimídia como a do seu irmão maior, o Tiggo 5X Pro.

Conforto e Experiência de uso

O Tiggo 3X Pro estreou o motor 1.0 turbo da Caoa Chery, que rende 102cv e 17,1 kgf/m de torque a 2000rpm. São números que, para um SUV de apenas 1.249kgs, poderiam ser mais do que suficientes, certo? Bem, no caso do modelo chinês, a impressão é de que ele regrediu com relação ao antecessor.

Em nossos testes, tivemos a nítida sensação de que o câmbio CVT de 9 velocidades é o vilão por aqui. Com acerto voltado para o consumo, a transmissão anestesiou a arrancada do Tigo 3X Pro, tornando-o um carro preguiçoso nas saídas e retomadas.

Câmbio pode ser o grande vilão do Tiggo 3X Pro (Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech)

Em cruzeiro, sobretudo em vias expressas e estradas, ele até se comporta bem, mas também sentimos falta de potência em pisadas mais fundas. O consumo, apesar de bom, também poderia ser melhor. Conseguimos médias de 9 km/l no etanol em uso misto cidade/estrada.

Apesar do comportamento do motor, a dirigibilidade é o ponto alto do Tiggo 3X Pro. O acerto feito pela Chery deu ao SUV uma direção bem direta e gostosa, que fica ainda mais interessante quando apertamos o modo “Sport”, que dá uma ajudinha no dinamismo do carro.

Espaço não é generoso, mas atende uma família pequena (Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech)

A suspensão também é um ponto forte, transparecendo robustez e conforto na medida certa. Se você quer um SUV pensando em enfrentar a buraqueira das cidades, o Tiggo 3X pode te atender muito bem.

Já com relação ao espaço interno, as medidas também podem enganar. O bom entre-eixos de 2,55m não reflete em uma vida mais confortável na fileira de trás, fazendo com que este repórter de 1,85m sofresse um pouco para se acomodar. Para uma família pequena, no entanto, deve ser suficiente.

Já o porta-malas, é excelente (Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech)

De positivo em termos de espaço, temos o ótimo porta-malas de 420 litros, que o carro da Caoa Chery como um dos melhores entre os SUVs de entrada e compactos. Além do ótimo volume, sua profundidade ajuda com malas mais altas ou carrinhos de bebê, por exemplo.

Os itens de série para o conforto também englobam ar-condicionado, sensor crepuscular, sensor de chuva e os bancos em couro.

“Os números indicam que o carro deveria ter um desempenho melhor do que ele proporciona. O câmbio pode ser o vilão.”

— Felipe Ribeiro

Design e Acabamento

Se há algo em que o Caoa Chery Tiggo 3X acerta é no design e no acabamento, ambos muito bem feitos pela montadora. A nova grade traz aquele desenho em formato 3D, tornando o SUV bem atraente e moderno. A traseira, porém, segue igual à do Tiggo 2 — o que não é ruim.

A cabine do Tiggo 3X Pro é bem desenhada e com acabamento honesto (Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech)

Já no interior, há uma clara tentativa da Chery de passar um certo requinte aos proprietários, mesmo com abundância de plástico duro na cabine. Brincar com texturas e cores diferentes pode ajudar, um exercício usado, por exemplo, pela Fiat com o Pulse.

As rodas são em aro 16 com acabamento diamantado e desenho exclusivo. E, como bom carro chinês, há bastante cromado pela lataria.

Dianteira do Tiggo 3X Pro é um dos destaques do automóvel e uma das mais belas do segmento (Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech)

Concorrentes

Os principais concorrentes do Tiggo 3X Pro são o Volkswagen Nivus e o Fiat Pulse, que custam na faixa dos R$ 85 mil e R$ 135 mil. Entretanto, por seu preço e porte, SUVs como Volkswagen T-Cross, Hyundai Creta e até mesmo o Jeep Renegade estão na mira.

Caoa Chery Tiggo 3X Pro: vale a pena?

O Caoa Chery Tiggo 3X Pro tem seus méritos inegáveis. Consegue dar ao seu usuário uma experiência de SUV sem gastar tanto dinheiro. Entretanto, custando mais de R$ 110 mil, ele precisava ter mais itens de segurança e uma qualidade melhor nos equipamentos de infotenimento.

O motor, grande novidade na linha, também deixa a desejar — muito provavelmente pelo ajuste do câmbio CVT, que pode ser melhorado pela Chery em uma futura atualização. Já no espaço, apesar de acanhado, atende uma família com pai, mãe e criança pequena.

No geral, trata-se de um bom produto. Se contra os rivais diretos talvez ele sofra um pouco, quem sabe não consegue tomar algumas vendas de hatches compactos — é uma boa possibilidade.

O Caoa Chery Tiggo 3X Pro pode ser encontrado em todo o Brasil por R$ 113 mil. Há, no entanto, uma versão chamada Plus, que sai por R$ 103 mil.

No Canaltech, o Tiggo 3X Pro foi avaliado graças a uma unidade gentilmente cedida pela Caoa Chery.

Fonte feed: canaltech.com.br

Veja também