Review Honda HR-V EXL | Um SUV honesto, mas cansado

O Honda HR-V terá uma nova geração no Brasil em 2022. Enquanto ela não chega por aqui, vamos falar um pouco sobre a versão ELX do SUV da marca japonesa, que é bastante honesta, mas já mostra sinais de cansaço.

A reportagem do Canaltech passou alguns dias a bordo do modelo 2021, dotado com motor I-VTEC flex 1.8 de 139 cavalos e torque de 17,7 kgfm quando abastecido com etanol. E aprovou a experiência, com algumas ressalvas.

A linha HR-V estreou no Brasil em 2015 e, desde então, sempre se manteve entre os principais carros do segmento. Apesar de ter perdido mercado com a chegada do Jeep Renegade, o modelo japonês segue como opção interessante, principalmente para quem busca por um carro com a motorização citada.

Honda HR-V ELX é “honesto, mas cansado” (Imagem: Paulo Amaral/Canaltech)

Prós

  • Espaço interno
  • Design
  • Acabamento
  • Isolamento acústico

Contras

  • Pacote tecnológico
  • Pacote de segurança
  • Painel de instrumentos muito simples

Conectividade e segurança

O Honda HR-V ELX tem como principais pontos negativos justamente os pacotes voltados para conectividade e segurança.

Em termos de conectividade, o carro oferece GPS nativo e espelhamento, via cabo, com Apple CarPlay e Android Auto, mas a central de 7 polegadas já é antiga e inferior às encontradas nos principais rivais.

O HRV-ELX Touring também não oferece chave presencial ou partida no botão, itens que costumam equipar SUVs do mesmo porte e podem pesar contra na hora de colocar na balança o que concorrentes têm a oferecer.

Central Multimídia já ficou para trás na comparação com rivais (Imagem: Paulo Amaral/Canaltech)

No quesito segurança, notamos — e sentimos falta — de itens como alerta de colisão com frenagem automática e controle de tração, itens que também já são comumente encontrados em SUVs de outras marcas.

Conforto e experiência de uso

Se em conectividade e segurança o Honda HR-V mostra que já está na hora da nova geração chegar, o mesmo não se pode ser dito do conforto e experiência a bordo do SUV japonês.

Apesar de ter um motor similar ao que equipa o Jeep Renegade Sport, o HR-V é mais ágil, mais agradável e menos “beberrão” que o modelo vendido pela Stellantis no Brasil.

Honda HR-V é bastante confortável e espaçoso (Imagem: Paulo Amaral/Canaltech)

Os 17,7 kgfm de torque proporcionados pelos 139 cavalos de potência são suficientes para empurrar o SUV de 1.271 quilos sem maiores problemas, até mesmo nas ladeiras mais íngremes. O câmbio CVT, que simula 7 marchas com as borboletas no volante, casa bem com o conjunto mecânico.

O conforto, marca registrada da Honda, seja no Civic, no City, no WR-V ou no agora extinto Fit, não poderia ser diferente no HR-V. Ele é perfeito e equilibrado, tanto nos bancos quanto nos painéis e no volante.

Volante tem pegada confortável e painéis não exageram no plástico duro (Imagem: Paulo Amaral/Canaltech)

Em termos de consumo, o SUV registrou bons números, apresentando média de 7,5 km/l circuito urbano e abastecido com etanol. Segundo dados do Inmetro, a média é de 7,7 km/l com o mesmo combustível e de 11 km/l quando abastecido com gasolina.

Design e acabamento

Os acabamentos em plástico do Honda HR-V são de boa qualidade e, no modelo testado pelo Canaltech, pareceram silenciosos. Esse é um problema recorrente em alguns rivais da mesma categoria e, a princípio, o modelo japonês se mostrou superior nesse ponto.

O design externo pode até não ter sofrido grandes alterações, mas segue imponente e impactante. Os destaques são os faróis Full LED e os de neblina, que agora também são de LED. As rodas, de 17 polegadas, são bastante elegantes e diferentes das encontradas nas demais versões do SUV.

Honda deu preferência acabamentos mais macios no HR-V ELX (Imagem: Paulo Amaral)

“O Honda HR-V é lindo e tem um desempenho surpreendente com o motor 1.8, mas a atualização, tanto de design quanto de motor e tecnologia, já passou da hora”

— Paulo Amaral

Concorrentes

O principal concorrente do Honda HR-V é mesmo o Jeep Renegade Sport, que hoje tem preços partindo de R$ 112 mil.

Outros SUVs que podem ser considerados rivais são o Chevrolet Tracker 1.0 turbo, o Peugeot 2008 Allure e o Hyundai Creta em sua versão Comfort 1.0 turbo.

Veredicto

O Honda HR-V ELX é um bom SUV e recebe o “positivo” da reportagem do Canaltech, mas com ressalvas.

O carro tem fôlego para estar na briga com os rivais, mas pode ser derrotado por já estar “cansado”, ou seja, há muito tempo sem uma mudança radical.

O modelo testado pelo Canaltech está na faixa dos R$ 143 mil. Acima dele, caso o consumidor fã da Honda queira ter um HR-V com um motor mais moderno, pode optar pela versão Touring, dotada do 1.5 turbo. Ou então esperar pela nova geração, que está chegando aí.

Honda HR-V é boa opção de compra, mas peca em pontos importantes (Imagem: Paulo Amaral/Canaltech)

O Honda HR-V analisado pelo Canaltech foi gentilmente cedido pela Honda do Brasil.

Fonte feed: canaltech.com.br

Veja também