5 motivos para NÃO comprar o Caoa Chery Tiggo 3x Pro

O Caoa Chery Tiggo 3x Pro é um produto que, inegavelmente, tem seus méritos. Com pouco mais de mil emplacamentos no mês de janeiro, o SUV subcompacto da montadora chinesa já se transformou em seu carro mais vendido no Brasil, encostando em rivais diretos como o Volkswagen Nivus.

Apesar do bom momento de mercado, o Tiggo 3X Pro não é um produto à prova de falhas e traz alguns problemas importantes que podem fazer com que consumidores mais exigentes passem longe dele na loja e migrem diretamente para o Tiggo 5X, seu irmão maior e mais requintado.

Veja abaixo 5 motivos para não comprar o Caoa Chery Tiggo 3X Pro.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

5. Multimídia

Se em modelos como o Arrizo 6 Pro a Caoa Chery acerta em cheio quando pensamos em multimídia, no Tiggo 3X Pro isso não acontece. A tela de 9 polegadas presente nesse modelo traz Android Auto e Apple CarPlay, é verdade, mas com uma resolução muito abaixo de seus concorrentes diretos.

Além disso, a interface é lenta e pouco responsiva. Uma dica para a Caoa Chery: utilizar o sistema presente no Arrizo em uma futura atualização do modelo. Certamente o tornará um carro mais atraente.

A central multimídia do Chery Tiggo 3X Pro é bem ruim (Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech)

4. Sistema de som

Outro ponto que pode te fazer desistir de comprar o Caoa Chery Tiggo 3x Pro é o sistema de som. Para um carro que custa mais de R$ 110 mil, é inadmissível que a qualidade sonora apresentada seja tão ruim. Isso pode ser resolvido, claro, com modificações externas, como novos alto-falantes e a instalação de um subwoofer.

Mas, convenhamos, é uma bola fora. Nem mesmo com os diferentes ajustes de equalização foi possível obter um som agradável.

Para um carro de mais de R$ 110 mil, o Tiggo 3X Pro fica devendo em infotenimento e mídia (Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech)

3. Airbags

Apesar de ter de série itens como controles de estabilidade e tração, freio a disco nas quatro rodas e sensores de ré, o Caoa Chery Tiggo 3x Pro é munido apenas de dois airbags.

Para um carro desse valor e no ano de 2022 ser equipado somente com as duas bolsas frontais é um pecado.

Pelo preço do Tiggo 3x Pro, ele deveria ter, ao menos, os airbags laterais (Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech)

2. Espaço interno

Apesar da boa distância entre-eixos (2,55m), o espaço interno do Tiggo 3x Pro é bem acanhado, fazendo com que pessoas com mais de 1,80m sofram na fileira traseira.

Esse pouco espaço pode ser explicado pela opção da Chery em ter um generoso porta-malas de 420 litros, destaque entre SUVs dessa faixa de atuação.

Externamente o porte do Tiggo 3x Pro surpreende, mas internamente a situação é outra (Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech)

1. Desempenho

Uma das grandes críticas ao Tiggo 2 era seu desempenho, já que o antigo 1.5 aspirado de 115cv e 14,9 kgf/m parecia não dar conta do recado. Pensando nisso, a Chery, ao lançar a nova geração do carro, que é justamente o Tiggo 3x, entrou na onda dos motores turbinados com o 1.0 turbo de 102cv e 17,1 kgf/m de torque.

Fomos surpreendidos negativamente durante o tempo que passamos com o SUV chinês. Mesmo com bons números e um carro leve, o comportamento do Tiggo 3x Pro poderia ser bem melhor. A explicação pode estar na programação do câmbio CVT que simula 9 velocidades. Talvez uma caixa automática convencional ajudasse mais.

Nem acionando o modo “Sport” as coisas melhoram muito no Tiggo 3x Pro

Fonte feed: canaltech.com.br

Veja também

Menu