Besouro Azul: Quem é o herói do novo filme da DC

Besouro Azul é um nome que pouca gente conhece. Junto com Besouro Verde, Aranha Escarlate, Besouro Bisonho (sim, existe) e outros personagens de cunho cromato-entomológico, ele frequenta o background das histórias em quadrinhos, nunca sendo um protagonista de 1.º escalão, mas agora ele ganhará um filme.

Isso por si só não é problema. Tá certo que consultado, o Grande Público vai dizer que só existe Batman, Super-Homem e Homem-Aranha no mundo, mas gente como James Gunn conseguiu provar que com talento personagens obscuros como o Pacificador ou os Guardiões da Galáxia conseguem fazer sucesso.

Tirado isso do caminho, quem é o Besouro Azul? A resposta como sempre, é “Depende”.

O personagem Besouro Azul é beem antigo, mais antigo que o Capitão América. Criado em 1939, apenas um ano após o Super-Homem, o Besouro é um dos personagens da chamada Era de Ouro dos quadrinhos.

Sua identidade secreta é Dan Garret, filho de um policial morto por um bandido, Dan se forma na faculdade, volta para sua cidade e se torna policial para honrar o pai. Fora do expediente ele se veste com uma fantasia, digo, uniforme, assume a identidade de Besouro Azul e combate o crime.

Nos primeiros números de sua revista, o Besouro Azul não tinha super-poderes, exceto um traje a prova de balas, mas como o roteirista (que alguns suspeitam ter sido Will Eisner) queria ampliar as possibilidades de histórias, Dan Garret acabou se associando ao seu farmacêutico do bairro, o Dr Franz, que como todo farmacêutico, sabe criar um soro de supersoldado que batizou de Vitamina 2-X.

A tal vitamina 2-X dava ao Besouro Azul super-força, agilidade, resistência e em uma ocasião até serviu para ressuscitar os mortos. Então fica a lição: Usem drogas, crianças.

Garret teve sua fase patriótica, e como todo bom super-herói, foi para a Europa matar nazistas, chegando a enfrentar Hitler em pessoa, quando descobre a identidade secreta do Fürher: Hitler, na verdade é SATÃ!

Sem muito apelo popular, e com falências de editoras, o Besouro Azul saiu de linha até 1955, quando tentaram reimprimir algumas histórias, sem grande sucesso. O personagem só voltou em 1964, em uma nova verão.

Agora Dan Garrett (com dois tês) é um arqueólogo no Egito (único lugar visitado por arqueólogos em ficção barata, aparentemente) que descobre um escaravelho azul com poderes mágicos. Um faraó aparece, explicando que ele deve usar seus poderes para combater o mal.

Usando as palavras mágicas KHAJI DA, Dan Garrett se transforma no Besouro Azul, tudo contado na história com o incrível título “Besouro Azul e a Múmia Gigante Que Não Estava Morta”.

Essa versão também não durou muito, e em 1967 surgiu um Besouro Azul mais parecido com a imagem (não muito) popular do personagem. Nela Ted Kord, um ex-aluno de Dan Garrett é um inventor, gênio e rico, Ted assume o manto do Besouro Azul, mas não consegue usar o escaravelho mágico. Ted se vira com sua tecnologia e habilidades atléticas.

O Besouro Azul de Ted Kord se tornou um personagem secundário extremamente popular, principalmente por sua participação na Liga da Justiça de Keith Geffen, e sua ótima química com o Gladiador Dourado.

Os dois eram o alívio cômico em uma série já engraçada, o que garantiu a sobrevida do personagem até 2006, quando Ted Kord foi morto por Maxwell Lord, após descobrir os planos do Xeque-Mate para controlar os meta-humanos da Terra…

Claro que em quadrinhos ninguém fica morto muito tempo, exceto o Tio Ben, e em 2008 o Gladiador Dourado, com o novo Besouro Azul, Dan Garrett e o Besouro Azul do Futuro que não é mais azul viajaram no tempo e resgataram Ted Kord.

Aqui a história começa a ficar (mais) complicada. O novo besouro azul é Jamie Reyes, jovem latino que se tornou protegido de Ted Kord. Ele conseguiu interagir com o escaravelho, que passou a se transformar em um traje cheios de poderes e parangolés.

Nessa fase o escaravelho deixou de ser um instrumento mágico, e se tornou um equipamento de tecnologia. Mais adiante outro retcon aconteceu, com o Doutor Destino explicando a Jamie Reyes que o escaravelho é um instrumento de magia, que só se disfarça como tecnologia.

Aos poucos é revelado que o escaravelho é uma arma tecnológica dos Reach, uma raça alienígena que vive de conquista e destruição. Cada escaravelho se associa a um hospedeiro biológico e tem capacidade de dominar a mente dele, mas o escaravelho de Jamie Reyes está com defeito, então os dois precisam interagir e dialogar.

Jamie é latino, mora com os pais e fala com aquela irritante mistura de inglês e espanhol que roteiristas americanos acham que adolescentes latinos usam. Ele vive em El Paso, Texas, seus melhores amigos são Brenda e Paco, uma espécie de Flash Thompson latino do Bem.

Nesa versão Jamie, como Besouro Azul é membro da Liga da Justiça, fez parte dos Jovens Titãs e vive em um constante conflito com o escaravelho, Khaji Da, que acredita que violência é solução para tudo. O Besouro Azul sem-querer manda Paco para o hospital, quando Khaji Da atravessa seu coração com uma lança, para evitar que ele descubra a identidade secreta de Jamie.

Poderes

O escaravelho dá ao Besouro Azul super-força, super-agilidade, uma armadura que o protege da maioria das armas dos inimigos, e capacidade de vôo.

Ele também consegue sobreviver no espaço, e a armadura pode remodelar suas extensões para criar vários tipos de armas de raios, além de facas, esporões e armas contundentes. Khaji Da também é um supercomputador com capacidade de hackear sistemas, analisar amostras, extrair informações táticas de ambientes e tudo mais que o roteirista inventar.

OK, e o Filme?

O filme do Besouro Azul foi anunciado pela HBO Max. O roteiro é de Gareth Dunnet-Alcocer, que fora curta-metragens tem nos créditos apenas um tal Miss Bala, de 2019, que custou US$15 milhões e faturou US$15.383.580,00.

A direção é de Angel Manuel Soto, que também tem vários curta-metragens no currículo, e somente um longa, mas ambos se qualificam pela latinidade, aparentemente.

No elenco, Jamie Reyes será interpretado por Xolo Maridueña, que fez o Miguel na deliciosa Cobra Kay, e não há escolha melhor, excelente ver a carreira dele avançando assim, mas a grande surpresa pra brazucosfera foi o anúncio de Bruna Marquezine como Jenny, interesse amoroso de Jamie, e protagonista feminina do filme.

A videochamada de Bruna com John Rickard, produtor do filme é muito fofa, e percebe-se que ela queria muito ser chamada para o projeto.

A pergunta que ninguém tem resposta é quem é Jenny, não existe essa personagem nos quadrinhos, o Besouro Azul namora/va uma tal de Traci 13, mas calma, não chamem o Chris Hansen, ela é 13 só no nome. Traci é uma bruxa de 3.º escalão, que aparece de vez em quando mas nunca teve mais desenvolvimento de personagem do que peguete do Besouro.

Bruna provavelmente não será Traci, e nos tempos modernos em que vivemos, ela com certeza será muito mais que adereço de cena. O que convenhamos, é excelente. Mesmo na época em que saiu, o Batman de Tim Burton foi criticado por escalar a Kim Bassinger apenas para ficar gritando e ser capturada pelos vilões o tempo todo.

Bruna se tornará uma das raras brasileiras em filmes de Super-Heróis, junto de Alice Braga e Morena Baccarin, Alice Braga, Debora Nascimento e Henry Zaga, se bem que acho justo dizer que ninguém viu o filme dos Novos Mutantes, então o Henry não conta. Ah sim, Rodrigo Santoro. Ou não? 300 é filme de quadrinhos mas não de super-heróis.

O resultado será bom? Não há como saber, o personagem do Besouro Azul é bem versátil, a Bruna é muito gentil aos olhos, atua bem e tem um inglês bem decente. Quando a Marvel faz aquela bomba d’Os Eternos, e a DC faz coisas divertidíssimas como Pacificador e Esquadrão Suicida (o segundo claro) tudo é possível. Então, boa sorte aos envolvidos.

Fonte feed: tecnoblog.net

Veja também

Menu