China deve lançar três missões ao polo sul da Lua até o fim da década

A China aprovou as missões Chang’e 6, Chang’e 7 e Chang’e 8 para explorarem o polo sul da Lua ao longo desta década. Cada uma delas terá objetivos diferentes, sendo que o primeiro lançamento pode acontecer em 2024. A aprovação foi anunciada por Wu Yanhua, vice-chefe da Administração Espacial Nacional da China (ou “CNSA”, na sigla em inglês), durante uma entrevista.

A missão Chang’e 7 será a primeira das três a ser lançada, contando com um orbitador, um satélite de transmissão, um rover, um lander e também um pequeno veículo voador, que buscará evidências de gelo no polo sul lunar.

Cápsula com amostras lunares coletadas pela missão Chang’e 5 (Imagem: Reprodução/Our Space/ Wang Jiangbo)

Para realizar sensoriamento remoto, identificar recursos e estudar o ambiente lunar, a Chang’e 7 terá instrumentos científicos como câmeras, radares, instrumentos de imageamento espectral de minérios, termômetro, um sismógrafo e, por fim, um dispositivo para analisar moléculas de água.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Depois, será a vez da Chang’e 6, missão pensada inicialmente como uma missão de “backup” caso a Chang’e 5 falhasse na coleta e envio de amostras lunares à Terra. Como tudo correu bem, a Chang’e 6 irá aproveitar o sucesso de sua antecessora e coletará as primeiras amostras de rocha do polo sul da Lua, também trazendo esse material para ser estudado em nosso planeta.

Já a Chang’e 8 ainda não tem uma data de lançamento estimada, mas é provável que ela fique somente para o fim da década. Esta será dedicada a testes de tecnologias para o uso de recursos locais do ambiente lunar, além da confecção de materiais através de impressões 3D. A ideia é que esta missão seja um passo para a China estabelecer a estação de pesquisa lunar International Lunar Research Station (ILRS) em parceria com a Rússia e, quem sabe, até mesmo outros países. O acordo para o projeto foi fechado neste ano.

Conceito da ILRS, que deverá se tornar um complexo de instalações para pesquisas e experimentos (Imagem: Reprodução/CNSA/CLEP)

De acordo com Wu, o objetivo principal destas três missões é permitir que a China construa o modelo básico de uma estação de pesquisa em colaboração com a Rússia, sob liderança chinesa. “A construção da estação poderá criar uma base sólida para explorarmos melhor o ambiente lunar e seus recursos, incluindo também o uso e desenvolvimento pacífico dos recursos lunares”, disse ele.

Fonte: Space.com

Fonte feed: canaltech.com.br

Veja também

Menu