Resident Evil: Bem-Vindo a Raccoon City | 8 referências que você não viu

Mais do que uma recente tentativa de levar a franquia Resident Evil aos cinemas, Bem-Vindo a Raccoon City chega como um festival de referências para os fãs. O longa roteirizado e dirigido por Johannes Roberts (Medo Profundo) tenta recriar algumas tramas dos jogos na telona, juntamente com personagens principais em uma nova forma, enquanto recheia a tela de elementos e semelhanças para agradar aos mais aficionados.

Entre críticas ao roteiro raso e à quantidade de histórias mal contadas, estão citações bastante óbvias e outras nem tanto. É neste segundo ponto que vamos focar neste artigo, com uma lista de referências que mostram que os responsáveis por Resident Evil: Bem-Vindo a Raccoon City fizeram a lição de casa e, em alguns casos, trouxeram referências que jamais apareceram nem mesmo nos games.

O longa foi lançado no início de dezembro, exclusivamente nos cinemas. Ainda que fora do circuito na maioria das cidades, Resident Evil: Bem-Vindo a Raccoon City ainda não tem data para chegar ao Brasil em Blu-Ray, DVD ou streaming.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Atenção: este artigo contém spoilers da história de Resident Evil: Bem-Vindo a Raccoon City.

8. Tall Oaks

Cidade que dá sede aos eventos iniciai de Resident Evil 6 aparece brevemente em Bem-Vindo a Raccoon City, na camiseta usada pelo cientista William Birkin, como um local de retiro corporativo da Umbrella (Imagem: Captura de tela/Felipe Demartini/Canaltech)

O desastre de Raccoon City é bem conhecido dos fãs dos games e, agora, também dos filmes. Nos jogos, porém, um segundo local teve destino semelhante, devastada por bombas de um governo que desejava conter os traços de uma infecção que, neste caso, vitimou até mesmo o presidente americano Adam Benford e detonou uma conspiração que tem Leon Kennedy como uma das figuras centrais.

Tall Oaks é o palco dos eventos que iniciam a campanha do personagem em Resident Evil 6. Na cronologia dos games, a Umbrella já está acabada neste momento, com seu nome sendo usado por um grupo terrorista ligado ao governo. No longa, a cidade é lembrada em uma camiseta usada pelo cientista William Birkin como sede de um retiro de executivos da empresa, em um evento realizado em 1994, quatro anos antes dos eventos em Raccoon City.

7. Bom dia, ressaca

Leon Kennedy (Avan Jogia) acorda atrasado para o dia de trabalho que mudaria sua vida no início de Resident Evil: Bem-Vindo a Raccoon City (Imagem: Captura de tela/Felipe Demartini/Canaltech)

Atrasar-se para o trabalho foi o erro que, em Resident Evil 2, salvou a vida de Leon Kennedy. Após ser deixado pela namorada, ele toma um porre e acaba dormindo demais, chegando a Raccoon City apenas na noite de seu primeiro dia de trabalho no local. Por causa disso, ele não estava presente no momento em que a delegacia foi tomada por zumbis, dizimando completamente a força policial da cidade.

Esse momento nunca apareceu nos jogos, mas serve como introdução ao personagem de Avan Jogia (Zumbilândia: Atire Duas Vezes) no filme. Em Resident Evil: Bem-Vindo a Raccoon City, Leon não está em seu primeiro dia de trabalho, mas ainda é um novato, com boa parte do alívio cômico representado por ele girando em torno disso e do sono que ele sente após a bebedeira.

Cena pós-créditos e momento com Leon em Resident Evil Bem-Vindo a Raccoon City faz referência ao primeiro game da série, que por sua vez, remonta a uma cena da obra de George Romero, o pai do cinema de zumbis (Imagem: Captura de tela/Felipe Demartini/Canaltech)

Atenção, ainda, para uma segunda referência nesta mesma cena, quando Leon levanta da cama como um zumbi, da mesma forma que acontece em um clipe introdutório do remake do primeiro Resident Evil, de 2002. Caso perca da primeira vez, o momento é homenageado mais uma vez na cena pós-créditos do filme, com outro personagem.

6. Para todos os ferimentos

Spray de cura, em Resident Evil Bem-Vindo a Raccoon City, é um produto farmacêutico da Umbrella. A erva verde também aparece ao lado da TV (Imagem: Captura de tela/Felipe Demartini/Canaltech)

Ervas nativas de Raccoon City e sprays de cura são os itens de recuperação de energia de praticamente toda a série Resident Evil e, claro, não poderiam estar de fora do show de referências de Bem-Vindo a Raccoon City. Entretanto, ao contrário do que dava para se esperar, os artigos não aparecem sendo usados pelos protagonistas, como vimos nos games.

Ervas com poderes de cura, nos games, são tradicionais da cidade de Raccoon City; no novo filme de Resident Evil, elas aparecem rapidamente como elemento no cenário (Imagem: Captura de tela/Felipe Demartini/Canaltech)

No universo do longa, o spray de primeiros socorros é um produto da Umbrella Corporation. Um pôster promocional do item aparece logo na cena inicial, no orfanato de Raccoon City, enquanto a erva de cura aparece de forma ainda mais obscura. Ela pode ser vista rapidamente no restaurante onde Leon e os S.T.A.R.S. se encontram antes de assumirem turno na delegacia — o nome do local foi retirado diretamente de Resident Evil 2, inclusive.

5. Bravo Team

Bravo Team aparece reduzido em Resident Evil Bem-Vindo a Raccoon City, composto apenas por Enrico (à esquerda, atrás de Leon) e Kevin (direita) (Imagem: Captura de tela/Felipe Demartini/Canaltech)

Uma das histórias altamente reduzidas de Resident Evil: Bem-Vindo a Raccoon City, em relação aos games, é a dos S.T.A.R.S. O time de elite da polícia nem mesmo se parece como tal, mas no longa, também é a responsável por investigar assassinatos estranhos na floresta ao redor da cidade. É quando o time secundário desaparece que o principal, do qual fazem parte personagens como Chris, Jill e Wesker, é enviado.

No longa, tudo é bem mais simples. O Bravo Team vai à floresta de carro e parece composto de apenas dois integrantes, Enrico Marini (Sammy Azero) e Kevin Dooley (Dylan Taylor), com participação curta. Nos games, o primeiro é o líder do esquadrão, aparecendo com destaque em Resident Evil Zero e sendo o responsável por descobrir antes de todo mundo a conspiração da Umbrella, morrendo antes de poder contar. Já o segundo nem mesmo é um membro oficial dos S.T.A.R.S., sendo escalado como piloto na missão que levou todos à floresta e aparecendo morto, dentro do helicóptero, na abertura do remake do primeiro jogo.

4. Água engarrafada é mais segura

A água, assim como nos games, é o principal vetor da infecção da cidade em Resident Evil Bem-Vindo a Raccoon City (Imagem: Captura de tela/Felipe Demartini/Canaltech)

Um ponto de enredo que pode soar como um erro para muitos jogadores é, na realidade, demonstração de um conhecimento profundo da trama pelos realizadores de Bem-Vindo a Raccoon City. No longa, a contaminação do suprimento hídrico da cidade é a razão da infecção e, acredite, esse também foi um dos vetores na cronologia dos games.

Na versão original de Resident Evil 2, uma missão malsucedida da Umbrella nos esgotos leva ao vazamento do vírus, com ratos levando a contaminação à superfície. Esse, porém, foi apenas um dos vetores, juntamente com as criaturas que vagavam pela floresta, após os incidentes do primeiro jogo, e a água, contaminada devido ao alto volume de experimentos da empresa farmacêutica, com os quais a única usina de desinfecção da cidade não era capaz de lidar.

Os dejetos acabavam sendo lançados de forma não tratada, contaminando o rio que servia a Raccoon City e também a usina de tratamento, em uma história contada em jogos como Resident Evil Outbreak e compêndios como o Archives, uma espécie de enciclopédia da franquia lançada no Japão e nos EUA. Da mesma forma que no filme, os cidadãos foram ficando doentes aos poucos, o que também explica como toda uma população foi contaminada de uma só vez.

3. Pedindo socorro

Zumbis ainda em transformação aparecem na primeira metade de Resident Evil Bem-Vindo a Raccoon City, demonstrando o andamento do caos na cidade (Imagem: Captura de tela/Felipe Demartini/Canaltech)

Um dos conceitos mais interessantes de Resident Evil: Bem-Vindo a Raccoon City é a visão dos zumbis em transformação. Enquanto o filme é focado no caos da infecção, vemos em seus momentos iniciais alguns dos cidadãos exibindo sintomas aos poucos, com sangramento nos olhos ou perda de cabelo, além de traços de insanidade. No cerco à delegacia, ouvimos os mortos-vivos pedindo ajuda e solicitando entrada, em uma imagem assustadora.

O conceito também é um dos mais perturbadores de Resident Evil Revelations, de 2012. Um dos primeiros chefes enfrentados por Jill Valentine e Parker Luciani é o oficial de comunicações de um navio onde mais um incidente biológico acontece. Ele pede ajuda durante toda a luta, repetindo sinais de chamado de socorro para a embarcação e até pedindo que os agentes parem de atirar, enquanto os ataca com uma serra circular.

Mais recentemente, um conceito semelhante foi visto no remake de Resident Evil 2. Quem prestar atenção durante a primeira cena de combate contra William Birkin, já transformado pelo vírus, também pode o ouvir pedindo ajuda e chamando a filha, Sherry.

2. Na palma da mão

PalmPilot com informações é entregue a Wesker em Resident Evil: Bem-Vindo a Raccoon City, fazendo às vezes do inventário do game (Imagem: Captura de tela/Felipe Demartini/Canaltech)

A referência aqui é tão obscura que, se a representação não fosse precisa, daria para pensar ser uma coincidência. Como parte de sua traição, Wesker recebe um PalmPilot de uma figura misteriosa, com o equipamento contendo “tudo o que ele precisa saber” sobre o incidente que está prestes a enfrentar. É, também, a forma de o filme fazer mais sentido de enigmas, exibir um mapa da mansão e até brincar com o inventário do game.

Novelizações do primeiro Resident Evil, lançadas primeiro nos EUA (direita) e depois no Brasil (esquerda), adicionam fatos à história dos games, ainda que não sejam considerados parte oficial da cronologia deles (Imagem: Divulgação/Benvirá, Simon & Schuster)

Uma cena incrivelmente idêntica é descrita em Resident Evil: A Conspiração Umbrella, publicado nos EUA em 1998 e com versão em português disponível no Brasil desde 2013. A adaptação, ainda que não seja parte da cronologia oficial da franquia, adiciona elementos à trama e explica eventos do game, sendo a origem de uma saga que se expandiu por sete livros, com direito a duas histórias originais com personagens próprios interagindo com Leon e Rebecca, entre outros.

No primeiro livro, antes de partir para a mansão, Jill Valentine se encontra com Trent, uma figura misteriosa ligada à Umbrella, que a entrega um minicomputador com documentos, mapas e até a solução dos enigmas que ela está prestes a encontrar. Novamente, é uma forma de a autora transportar para as páginas o inventário do primeiro game e tornar mais palpáveis alguns dos elementos mais lúdicos de sua jogabilidade.

1. Velhos conhecidos

O cineasta John Carpenter é uma influência declarada do diretor de Resident Evil: Bem-Vindo a Raccoon City, Johannes Roberts (Imagem: Nathan Hartley Maas/Wikimedia Commons)

Resident Evil: Bem-Vindo a Raccoon City também traz algumas referências de fora da franquia dos jogos. Em entrevistas, Roberts já havia citado os filmes de John Carpenter (Halloween, O Enigma do Outro Mundo) como grande influência para o longa, algo que transparece na edição, trilha sonora e até na fonte utilizada para indicar horários e a passagem do tempo na história.

Enquanto isso, uma referência incidental a outro mestre do terror, Stephen King, é feita algumas vezes durante os longas. Em diferentes momentos, a cidade de Gatlin é citada como vizinha de Raccoon City, para onde estariam indo muitos de seus moradores após a saída da Umbrella. O município, assim como a própria cidade de Resident Evil, não existe de verdade, mas é o local onde se passa uma das histórias mais famosas do escritor, Colheita Maldita. O filme de 1984 é baseado em um conto lançado em 1977 sobre uma entidade que incita as crianças a assassinarem os adultos.

Neal McDonough como Bison em Street Fighter: A Lenda de Chun-Li, outra adaptação de game da Capcom, que também desenvolve a franquia Resident Evil (Imagem: Divulgação/20th Century Fox)

Ainda, vale a pena citar que o ator Neal McDonough, que interpreta Birkin, já esteve presente em outra adaptação dos games da Capcom para os cinemas. Enquanto muitos se lembrarão dele como Dum Dum Dugan em Capitão América: O Primeiro Vingador, ele também foi Bison em Street Fighter: A Lenda de Chun-Li, lançado em 2009 e aparecendo ao lado de Kristin Kreuk (Smallville) e Michael Clarke Duncan (À Espera de um Milagre).

Fonte feed: canaltech.com.br

Veja também

Menu