Startup de carne vegetal coliderada por brasileiro recebe US$ 100 milhões

A Next Gen Foods, startup de carne vegetal Cingapura cofundada por um brasileiro, obteve na terça-feira (15) US$ 100 milhões (R$ 520 milhões) em uma rodada do tipo série A, para acelerar o negócio. Segundo a plataforma PitchBook, este é o maior aporte obtido por uma empresa que produz proteína à base de plantas. O feito é mais surpreendente por se tratar de uma empresa criada em 2020.

A rodada contou com investidores antigos da empresa, como o fundo cingapurense Temasek, GGV Capital, K3 Ventures e Bits X Bites, além de novos como Alpha JWC, EDBI e MPL Ventures. Os outros aportes foram um seed de US$ 10 milhões (R$ 52 milhões, na cotação atual) em fevereiro de 2021 e uma extensão da seed de US$ 20 milhões (R$ 104 milhões) em julho.

A Next Gen Foods produz o Tindle, um “frango” de origem vegetal que chegou nesta semana ao seu quinto país, os Estados Unidos, principal mercado de carne vegetal. Na época da rodada inicial, a foodtech foi avaliada em US$ 180 milhões (R$ 936 milhões). O brasileiro André Menezes, cofundador ao lado do alemão Timo Recker, não quis dizer ao Estadão o valor atual da empresa.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Tindle, sanduíche de frango vegetal da Next Gen Foods (Imagem: Reprodução/Next Gen Foods)

O produto é feito com uma mistura própria de ingredientes à base de plantas, como o óleo de girassol. “Embora o mercado americano seja mais maduro e desenvolvido, temos muita clareza de que não existe ninguém com proposta igual à nossa para frango. Nossa ambição é criar essa categoria”, disse Menezes ao jornal.

Segundo Menezes, o dinheiro captado será o bastante para abastecer o mercado dos EUA por até 18 meses. Também deverá ser aplicado em estrutura e pesquisa e desenvolvimento para o frango vegetal e outros alimentos. O próximo objetivo é chegar à Europa, e em um momento seguinte, Brasil e China.

Fonte: Estadão, Techcrunch

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.

Fonte feed: canaltech.com.br

Veja também

Menu