Um Silent Hill Remake na Unreal Engine 5? Deixa com os fãs!

Gostar da série Silent Hill não é uma tarefa das mais fáceis. Com o último lançamento da franquia tendo acontecido há quase dez anos, com o Silent Hill: Book of Memories, pedidos para criação de novos capítulos nunca deixaram de ser ouvidos, mas a Konami segue nos ignorando. Diante desta situação, alguns fãs decidiram colocar a mão na massa e criar um remake do título que deu início a essa paixão.

Conhecidos como Codeless Games, a ideia do grupo é recriar a história de Harry Mason e para isso eles optaram pela poderosa Unreal Engine 5. Caso eles tenham sucesso no projeto, a nova versão do jogo nos levará de volta à fictícia cidade que dá nome ao título, tudo para o protagonista encontrar a sua filha desaparecida.

Em condições normais, um anúncio como esse poderia levantar mais dúvidas do que motivos para nos empolgarmos, afinal, a complexidade em se recriar um jogo deste porte está muito longe do que alguns fãs poderiam suportar. Porém, para mostrar que sabem o que estão fazendo, o pessoal da Codeless Games divulgou um vídeo com dez minutos da jogabilidade do seu Silent Hill Remake e o que eles já alcançaram é impressionante.

Mesmo com algumas críticas em relação à direção artística estar muito clara, ignorando a atmosfera sombria e claustrofóbica do original, poder “revisitar” a Midwich Elementary School numa resolução tão alta e com tantos detalhes visuais é uma experiência bastante satisfatória.

Elogios efeitos, acredito que o trabalho realizado pela equipe ainda precisa de alguns ajustes, pois as texturas ainda parecem simples demais e os movimentos da câmera estão irritantemente “frenéticos”. Mesmo o personagem principal merece um melhor acabamento, com sorte abandonando essa aparência genérica e a movimentação robótica que podemos ver no vídeo.

Contudo, é importante salientar que estamos diante de um desenvolvimento que ainda deverá demorar um bom tempo até ser concluído e por isso prefiro ser otimista, apostando no talento e dedicação daqueles que estão envolvidos na criação deste Silent Hill Remake.

O grande problema aqui — e com quase todos os projetos mantidos por fãs — é a incerteza em relação a sua conclusão. Da perda de interesse daqueles que estão participando do desenvolvimento do jogo até a possibilidade de a empresa exigir que ele seja interrompido, há muitas variáveis que podem fazer com que uma versão final nunca seja lançada. Mesmo com essa interferência não tendo acontecido com o Silent Hill 2: Enhanced Edition, sempre existe o risco.

Além disso, segundo o próprio criador da franquia, Keiichiro Toyama, trazer o primeiro Silent Hill para os dias atuais é uma tarefa muito mais difícil do que podemos imaginar. Para ele, seria necessário repensar todo o conceito do jogo para que os fãs se sentissem satisfeitos, já que em sua essência o clássico não se trata de um jogo de ação. Por isso o game designer chegou a afirmar que esta seria uma missão muito mais complicada de ser realizada do que a Capcom alcançou ao refazer o primeiro Resident Evil.

Ainda sem previsão de lançamento, fica a torcida para que ao menos o Codeless Games possa continuar trabalhando no seu Silent Hill Remake. Enquanto isso, também seguiremos curiosos para ver se os donos da marca estão preparando algo para a sua franquia.

O mistério pelos lados da Konami

Rumores sobre o desenvolvimento de um (e até vários) Silent Hill tem circulado há vários anos pela internet, sempre sem a confirmação por parte da sua editora. O último desses rumores aconteceu em maio, quando quatro supostas imagens de um remake do Silent Hill 2 teriam vazado.

Apesar destes vazamentos sempre precisar ser encarado com um certo ceticismo, alguns detalhes ajudaram a torná-lo mais crível. O primeiro foi a pessoa que o divulgou, um sujeito antes conhecido como Dusk Golem e que agora atende por AestheticGamer. Foi ele quem revelou ao mundo a existência do Resident Evil Village, além de ter cravado que o jogo seria lançado em 2021, que contaria com lobisomens e teria Ethan Winters novamente como protagonista.

Também ajudou a colocar mais lenha nessa fogueira a assinatura de Masahiro Ito, diretor de arte da série, na imagem que pode ser vista acima. Some a isso a Konami não ter demorado para acionar seus advogados, exigindo que as imagens fossem tiradas do ar. Por fim, um profissional que havia sido o produtor do Silent Hill: Shattered Memories criticou estúdios que vazam esse tipo de material, o que muitos viram como confirmação da autenticidade — mas  Tomm Hulett prontamente negou saber de qualquer coisa.

Como em fevereiro de 2021 o CEO do Bloober Team revelou que eles estavam trabalhando em um jogo de terror para uma famosa editora, a expectativa era de que os poloneses estavam prestes a anunciar um Silent Hill 2 Ramake. Tudo indicava que a confirmação aconteceria durante o período em que deveria ter acontecido a E3 deste ano, mas para a frustração dos fãs da franquia da Konami, o que os criadores de jogos como Observer, Blair Witch e The Medium anunciaram foi apenas o Layers of Fears.

Sendo assim, permanece a dúvida em relação às histórias de que a empresa japonesa estaria preparando diversos jogos relacionados a Silent Hill e quanto mais o tempo passa, mais fraca se torna a esperança de que um dia a franquia retomará o prestígio de antigamente.

Fonte: Eurogamer

Fonte feed: tecnoblog.net

Veja também