Você pagaria uma mensalidade para ter acesso a DLCs?

Para estender a vida útil de seus jogos e consequentemente aumentar o faturamento, uma prática bastante comum entre as desenvolvedoras é lançar DLCs. Isso pode acontecer por meses ou até mesmo anos após o título chegar às lojas e entre aquelas que mais se valem dessa estratégia está a Paradox Interactive.

Famosa pelos complexos jogos de estratégia que publica, esta editora também ficou conhecida por lançar uma enorme quantidade de conteúdo adicional para suas produções. Peguemos como exemplo o Hearts of Iron IV, jogo que nos coloca no comando de diversos países durante a Segunda Guerra Mundial e foi lançado em 2016. Até hoje ele recebeu 17 DLCs e caso o jogador queira ter todos, precisará gastar salgados R$ 327,44; fora os R$ 72,99 cobrados pelo jogo base.

Tal investimento certamente está fora de cogitação para boa parte das pessoas, mas o que fazer para permitir que um número maior de comandantes virtuais possam acessar esse conteúdo? Pois os executivos da Paradox decidiram dar sequência a uma tática que a empresa tem adotado há alguns meses para outros dos seus jogos, que é fornecer um “serviço de aluguel de DLCs”.

Funciona assim: agora, qualquer pessoa que já tenha o Hearts of Iron IV terá a opção de assinar o pacote de expansão, serviço que lhe dará acesso a todo conteúdo que já foi lançado para o jogo e mesmo aqueles que chagarem no futuro. Segundo a editora, mesmo os conteúdos cosméticos, músicas e sons fazem parte da assinatura.

Para isso será preciso pagar uma mensalidade no valor de R$ 12,99 ou optar por pacotes trimestrais e semestrais, que custam R$ 36,40 e R$ 70,10, respectivamente. Já numa sessão de perguntas e respostas publicada pela Paradox, eles justificaram a existência da assinatura da seguinte maneira:

Com uma infinidade de opções de DLCs para escolher, começar do zero pode ser assustador para novos jogadores. Esta é uma maneira acessível para os jogadores experimentarem todo o catálogo do HoI4 sem precisar pesar quais itens preferem comprar.

A empresa ainda tomou o cuidado de deixar claro que aderir à assinatura é algo opcional, com os jogadores podendo continuar comprando os DLCs individualmente, além de garantir que o conteúdo que já tiver sido obtido não será afetado.

Num primeiro momento, confesso ter achado a ideia muito interessante, afinal é bom haver variadas opções que podem facilitar o acesso a conteúdo. Porém, existem alguns detalhes que me fazem não gostar tanto dessa estratégia.

O primeiro deles está no fato de que, como outros jogos da Paradox Interactive também fornecem serviços de assinatura de DLCs semelhantes, seria bom se a empresa nos permitisse ter todos mediante apenas um pagamento. Tudo bem, não são todas as pessoas que jogam tanto o Hearts of Iron IV quanto o Crusader Kings II e o Europa Universalis IV, mas para elas, pagar três assinaturas mensalmente pode acabar sendo um gasto um pouco elevado.

Já pensou se daqui a pouco eles decidem fazer o mesmo com o Cities: Skylines, Stellaris e Victoria, passando a fornecer novas mensalidades individuais também para eles? Mesmo sem sermos obrigados a pagar por elas para ter acesso aos conteúdos, com tantos títulos bastante adorados em seu catálogo e com uma grande quantidade de pessoas sedentas por quase tudo o que a empresa lança, acredito que a Paradox poderia aproveitar para fornecer um serviço unificado, que além de nos dar acesso aos DLCs, ainda daria direito aos jogos a que eles pertencem. Uma espécie de Game Pass apenas da empresa.

Contudo, o que mais me incomoda nesse modelo de negócios é o fato de, exceto no caso do Crusader Kings II, mesmo pagando a mensalidade proposta pela empresa ainda somos obrigados a comprar o jogo. Imagino que isso se deva a um possível sucesso comercial pelo qual o serviço de assinatura está passando e mesmo admitindo que talvez eu apenas não faça parte do público a que ele se destina, como consumidor não é uma prática que me agrada.

No fim das contas, obviamente cabe a cada um avaliar qual estilo de pagamento mais se encaixa no seu padrão de consumo. Se a pessoa passa horas e mais horas imersa em um dos três jogos que atualmente fornecem essa possibilidade de assinatura, pode ser vantajoso gastar algumas moedinhas todos os meses. Por exemplo, no caso do Europa Universalis IV, para comprar todos os DLCs seria preciso gastar mais de R$ 755, o que acaba fazendo com que a sua assinatura seja bastante tentadora.

Fonte feed: tecnoblog.net

Veja também

Menu